CIRURGIA LAPAROSCÓPICA

Sinônimos:

Cirurgia minimamente invasiva, cirurgia com pequenas incisões, cirurgia videolaparoscópica, cirurgia por vídeo

O que é?

"Láparos" vem do grego e significa abdômen. Laparotomia é a cirurgia que incisa a parede abdominal para operar as estruturas e órgãos intra-abdominais a céu aberto. Laparoscopia é uma maneira de olhar dentro do abdômen, através de uma pequena incisão por onde se introduz uma lente que é o Laparoscópio. Até anos relativamente recentes, apenas se fazia diagnóstico laparoscópico ou eventualmente retiradas de pequenas porções de tecido para análise anátomo-patológica.

Cirurgia Laparoscópica, com operações mais extensas, ressecando inclusive órgãos mais variados, desenvolveu-se bem mais recentemente.

Para compreender como se realiza a laparoscopia, descrevem-se os seguintes passos:
 

A cavidade abominal é virtual, isto é, todos os seus órgãos e estruturas encostam-se uns aos outros.
Para introduzir o laparoscópio, a cavidade deve ser distendida. Isso é feito através da introdução de gás (CO2 - gás garbônico) que separa os diversos órgãos, permitindo introduzir com segurança o laparoscópio. Usa-se um aparelho, o insuflador, que faz o controle das medidas do volume e da pressão do gás insuflado, informando o médico a quantidade adequada de gás dentro da cavidade, evitando maiores complicações.
Uma vez a cavidade adequadamente distendida, introduz-se uma lente de luz fria, que transmite imagem clara a um monitor de vídeo por meio de um sistema de fibras ópticas. A lente é o laparoscópio.
Após esses procedimentos iniciais, o cirurgião está pronto para introduzir, através de pequenas incisões, os instrumentos com os quais vai operar.
Esses instrumentos são muito similares aos usados em cirurgia tradicional, só que bem mais delicados.
Essa introdução de instrumentos já é feita através de visão direta, pois o laparoscópio já está dentro do abdômen transmitindo as imagens para o monitor de vídeo.
Nesse momento, o cirurgião tem condições de avaliar as alterações existentes e programar a operação que pretende executar.

História da Laparoscopia

A história da laparoscopia caracteriza-se por pequenas invenções que foram se acoplando até que descobertas importantes, mais recentes, tornaram esse método cirúrgico mais factível e seguro.
 

Um sistema de lentes ópticas desenvolvido por Hopkins, usado inicialmente com muito sucesso em urologia, criou o laparoscópio moderno.
Um sistema de produção de luz fria tornou segura a iluminação das cavidades orgânicas, incluindo o abdômen.
Transmissão de imagens por fibras ópticas que permitiram o enorme desenvolvimento da endoscopia diagnóstica, especialmente do aparelho digestivo.
Transmissão de imagens à distância, que é a televisão.
Desenvolvimento de microcâmeras de televisão, fáceis de manipular por sua leveza, transmitindo imagens de excepcional qualidade.

História da Cirurgia Laparoscópica

Seu desenvolvimento foi progressivo à medida que os equipamentos e instrumentos cirúrgicos foram se modernizando. Em 1962 foi realizada a primeira laqueadura tubária. Em 1974, Semm em Lubeck, Alemanha, realizou vários tipos de cirurgia ginecológica. Semm é considerado o pai da cirurgia laparoscópica. Por sua influência direta, os avanços iniciais foram todos na área ginecológica. Em 1983 esse mesmo cirurgião alemão e Mouret em Lyon, França, executaram as primeiras apendicectomias. Em 1987, já com o desenvolvimento de microcâmeras de vídeo, realizou a primeira ressecção laparoscópica de vesícula biliar. Em 1960, Tomas Szego em São Paulo, Áureo Ludovico de Paula em Goiânia e Célio Nogueira em Belo Horizonte executaram as primeiras colecistectomias no Brasil.

Depois das primeiras colecistectomias, houve uma verdadeira explosão, em todo mundo, de cirurgias pelo novo método. Relembre-se que a primeira colecistectomia por laparoscopia foi executada em 1987. Das cirurgias ginecológicas e colecistectomia, estendeu-se o acesso laparoscópico para praticamente todos os órgãos abdominais e para fora da cavidade abdominal. Operam-se, hoje, tórax, articulações, coluna, cavidade craniana, tireóide, cirurgias plásticas. Muitas dessas operações são realizadas com indiscutível vantagem sobre a cirurgia tradicional. Aos poucos, vem se definindo aquelas operações que realmente oferecem vantagens, quando realizadas por videoendoscopia cirúrgica. Cabe frisar que, para realizar operações laparoscópicas, o cirurgião deve estar bem treinado nas cirurgia tradicionais ou laparotômicas. Por outro lado, para trabalhar com laparoscopia, é necessário um treinamento adequado, específico. São necessários, também, equipamentos e instrumentos específicos, com os quais o cirurgião deve estar bem familiarizado. Estes últimos vêm se aperfeiçoando progressivamente e impõem aumento nos custos inerentes.

A cirurgia laparoscópica, quando bem indicada e executada, é muito melhor para o paciente. Este sofre bem menos com as pequenas incisões cirúrgicas, há menos dor pós-operatória, a permanência hospitalar torna-se mais curta e a recuperação para as atividades é mais rápida. Em resumo, a cirurgia laparoscópica constitui um avanço enorme, consagrou-se com muita rapidez e, quando bem indicada e bem executada, traz grande benefício aos pacientes.

Perguntas que podem ser feitas ao seu médico:

Quando minha cirurgia pode ser realizada por laparosocopia?

Em todas as doenças se faz laparoscopia?

Quais os riscos associados à cirurgia laparoscópica?

Qual a chance da minha cirurgia laparoscópica tornar-se aberta?

revisão realizada por Dr. Gustavo Laporte





Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


LEIA TAMBÉM

ENDOMETRIOSE  Endometriose é uma doença caracterizada pela presença de tecido endometrial (tecido que reveste o útero internamente) fora da cavidade uterina.

FATOR TUBO - PERITONEAL  Alterações anatômicas das trompas de Falópio são encontradas em 20% dos casais inférteis. Doença inflamatória pélvica (DIP), apendicite aguda perfurada, aborto séptico, cirurgia tubária prévia são responsáveis pela infertilidade tubária.

COLECISTECTOMIA - Cirurgia da vesícula biliar  Colecistectomia é das operações mais realizadas e a mais freqüente das cirurgias abdominais. É segura, com mortalidade e índice de complicações muito baixas.

DOENÇA DO REFLUXO GASTRO-ESOFÁGICO  É um conjunto de queixas que acompanha alterações no esôfago resultantes do refluxo (retorno) anormal do conteúdo estomacal

CIRURGIA DO REFLUXO GASTRO-ESOFÁGICO  O refluxo gastro-esofágico tem como sintoma típico a azia que também denomina-se de pirose. É um sintoma comum e com freqüência incomoda muito, obrigando os pacientes a procurar um médico para a resolução do problema.

CÁLCULOS BILIARES  Cálculos biliares ou cálculos das vias biliares, tecnicamente são chamados de litíase biliar. Litíase vem do grego "lithos"- pedra. De fato, cálculos são pedras mais ou menos duras

GRAVIDEZ ECTÓPICA  É a gestação que ocorre fora da cavidade uterina.

CISTOS DE OVÁRIO  São freqüentemente encontrados em mulheres em idade reprodutiva. As mulheres mais propensas a formação de cistos são aquelas com idade entre os 20 e 35 anos, as portadoras de endometriose ou com doença inflamatória pélvica

APENDICITE AGUDA  Inflamação aguda do apêndice.Na sua forma típica, inicia com dor em torno do umbigo, acompanhada de náuseas e eventualmente vômitos

ORIENTAÇÕES PARA O DIA DA CIRURGIA  Documentos, Jejum, Medicações, Cuidados Gerais

Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement






Autor

Título: CIRURGIA LAPAROSCÓPICA

Link :
Data de Publicação :01/11/2001 - Revisão : 16/11/2010 - Acesso : 16/04/2014
Palavras-Chave : CIRURGIA LAPAROSCÓPICA - Cirurgia Geral - Laparoscopia, laparotomia, laparoscópio , cirurgia videolaparoscópica, cirurgia por video, pequenas incisões , láparos, abdômen , endoscopia





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial : http://www.abcdasaude.com.br/sobre.php
© Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.


Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


Publicidade/Advertisement


Notícias



Destaques