CÁLCULOS BILIARES

Sinônimos:

Cálculo da vesícula biliar, pedra na vesícula, colecistite, inflamação da vesícula biliar  

O que é?

Cálculos biliares ou cálculos das vias biliares, tecnicamente são chamados de litíase biliar. Litíase vem do grego "lithos"- pedra. De fato, cálculos são pedras mais ou menos duras.

Conceito de Vias Biliares

O fígado tem múltiplas funções e uma delas é produzir bile que será eliminada através do intestino, dando coloração às fezes. O órgão se constitui de duas porções, chamadas lobos, que por sua vez se subdividem em vários segmentos. A via biliar é um conjunto de canais que se forma dentro do fígado e que confluem de modo completamente similar a um rio. Começam com canalículos, dentro dos diversos segmentos, que vão confluindo até formar dois canais maiores que drenam o lobo hepático direito e o lobo hepático esquerdo.

Já ao saírem do fígado, esses dois canais se unem para formar um canal hepático comum que, depois de receber o canal da vesícula biliar, continua com o nome de colédoco.

Este nada mais é do que a última porção da via biliar que desembocará no duodeno, sendo este a primeira porção do intestino delgado. Nessa junção do colédoco com o duodeno, há um músculo circular, denominado esfíncter de Oddi, que regula a passagem de bile para o intestino. O colédoco reforçado por esse esfíncter, ao entrar no duodeno, forma uma saliência visível designada papila duodenal. A vesícula biliar é uma bolsa, localizada sob o fígado, fora deste, comparável a um lago, que se comunica com a via biliar comum por um canal próprio, o ducto cístico. Na vesícula biliar a bile se concentra no intervalo das refeições e é liberada, logo após as mesmas, para o duodeno, principalmente quando há ingestão de gorduras.

Onde ocorrem cálculos biliares?

Cálculos biliares podem existir em qualquer porção da via biliar, mas aparecem comumente na vesícula biliar e com menor frequência no colédoco.

Como se formam os cálculos biliares?

A bile tem três componentes básicos: bilirrubina, sais biliares e colesterol. A bilirrubina é um pigmento derivado da destruição dos glóbulos vermelhos do sangue, efetuada no baço. Através da circulação, é levada para o fígado que a elimina pelos canais biliares; ela dá a cor à bile. A bile quando liberada ao intestino delgado fornece a cor amarronzada das fezes. A presença de fezes brancas (sem cor) conduz a pensarmos em distúrbios das vias biliares (fígado, vesícula biliar e pâncreas). O fígado produz os sais biliares que são importantes no processo de digestão dos alimentos, especialmente das gorduras.

O colesterol é eliminado pelo fígado, através da bile. Há um equilíbrio físico-químico entre essas três substâncias que mantêm a bile em estado líquido. Rupturas nesse equilíbrio provocam precipitação de seus componentes, dando origem aos cálculos. Os componentes dos cálculos, entre outros, são sais de cálcio e colesterol. Conforme a predominância, serão cálculos colesterólicos, cálcicos ou mistos.

Consequências da litíase biliar?

Os cálculos biliares podem permanecer silenciosos durante anos ou se manifestarem a qualquer momento. Quando um cálculo da vesícula biliar obstrui o ducto cístico, seu canal de drenagem para o colédoco, provoca contração da parede muscular da vesícula que se traduz por dor em cólica na parte superior do abdome a direita - denominada cólica biliar. Quando o cálculo se encrava no ducto cístico, impedindo a passagem de bile, esta é retida e desencadeia um processo inflamatório agudo - denominada colecistite aguda. Habitualmente, nessa bile retida, crescem bactérias e a vesícula obstruída se comporta como um abscesso e pode ser o desencadeamento de doença potencialmente grave.

A colecistite aguda pode regredir ou não. Quando for persistente, vai se comportar como um abscesso local. Pode romper, ficando bloqueada sob o fígado ou romper para dentro do abdome provocando peritonite aguda. Quando um cálculo localizado no colédoco obstrui esse canal, a bile não passa para o intestino e reflui através das células hepáticas para a corrente circulatória. A bilirrubina refluída para o sangue provoca uma cor amarelada típica da pele - denominada icterícia. Essa bile retida pode infectar, podendo provocar doença sistêmica toxêmica grave designada colangite aguda.

Cálculos biliares e câncer

O câncer da vesícula biliar não é frequente e o câncer em canais biliares é ainda mais raro. Seu índice de cura é baixo, mas depende do momento do diagnóstico. O curso dessa doença é silencioso e, quando há sintomas manifestos, geralmente, encontra-se em um momento tardio de tratamento.  Câncer da vesícula biliar está relacionado com a presença de cálculos em seu interior, habitualmente presentes há muito tempo, bem como com a presença de pólipos ou alterações anatômicas visualizadas através de exames de imagem (ecografia e tomografia computadorizada).

Tratamento da litíase biliar

A litíase biliar sintomática deve ser tratada. Seu tratamento habitual é cirúrgico. A litíase de colédoco pode ser tratada por endoscopia: o endoscopista faz uma endoscopia, localiza a papila duodenal, corta o esfíncter de Oddi e, por essa abertura, retira os cálculos. Houve mudança importante na abordagem cirúrgica da via biliar com o desenvolvimento da cirurgia laparoscópica. A ressecção laparoscópica da vesícula biliar é totalmente similar à extração do órgão por cirurgia tradicional, aberta; entretanto, as incisões utilizadas são menores.

Com essa nova abordagem cirúrgica (videolaparoscopia) há menos dor pós-operatória, recuperação mais rápida para as atividades normais, menor tempo de internação hospitalar, além de se evitar as complicações inerentes às extensas incisões cirúrgicas no abdome. Pode-se dizer que a abordagem laparoscópica modificou o tratamento da litíase biliar nos últimos anos.  

Perguntas que você pode fazer ao seu médico

Onde fica a vesícula biliar e sua função no corpo?

O que são cálculos biliares e como são formados?

Como será realizado o meu tratamento?

Qual o risco de desenvolver câncer associado a cálculos biliares?

atualização realizada pelo Dr. Gustavo Laporte





Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


LEIA TAMBÉM

Cólica Biliar  Os cálculos estão presentes ao redor de 10 a 20% dos adultos entre 35 e 65 anos, predominando entre as mulheres que estiveram grávidas, as que têm excesso de peso e as usuárias de hormônios estrógenos e de pílulas anticoncepcionais.

Colecistectomia - Cirurgia da Vesícula Biliar  Colecistectomia é das operações mais realizadas e a mais freqüente das cirurgias abdominais. É segura, com mortalidade e índice de complicações muito baixas.

Cirurgia Laparoscópica  Laparotomia é a cirurgia que incisa a parede abdominal para operar as estruturas e órgãos intra-abdominais a céu aberto. Laparoscopia é uma maneira de olhar dentro do abdômen, através de uma pequena incisão por onde se introduz uma lente que é o Laparoscópio.

Hepatites  É qualquer inflamação do fígado. Pode ser causada por infecções (vírus, bactérias), álcool, medicamentos, drogas, doenças hereditárias (depósitos anormais de ferro, cobre) e doenças autoimunes.

Pancreatites  Pancreatite é a inflamação do pâncreas. O pâncreas é um órgão situado na parte superior do abdômen, aproximadamente atrás do estômago.

Câncer de Pâncreas e de Vias Biliares  O sintoma mais comum é uma dor abdominal vaga, de pequena ou média intensidade, localizada na região da "boca do estômago"

Hepatite B  É uma inflamação do fígado causada pelo vírus da Hepatite B (HBV). Assim como em outras hepatites, muitas pessoas não apresentam sintomas e descobrem que são portadoras do vírus, em atividade ou não, em exames de rotina.

Hepatite A  É uma inflamação do fígado (hepatite) causada por um vírus chamado Vírus da Hepatite A (HAV). Pelo seu modo de transmissão, esse tipo de hepatite é típico de áreas menos desenvolvidas, com más condições de higiene e falta de saneamento básico.

Colangite Aguda  É a inflamação aguda dos canais que conduzem a bile. Isso inclui desde os mais finos, dentro do fígado ao mais calibroso, o colédoco, que recebe toda a bile produzida no fígado e aquela já acumulada na vesícula.

Cirrose  A cirrose é uma doença difusa do fígado, que altera as funções das suas células e dos sistemas de canais biliares e sanguíneos.







Autor

Título: Cálculos Biliares

Link : | Data de Publicação : 01/11/2001 - Revisão : 20/10/2010 - Acesso : 25/10/2014 - Código do Conteúdo : Artigo 53 | Palavras-Chave : Cálculos Biliares - Cirurgia Geral - Pedra na Vesícula , Litíase Biliar , Cólica Biliar , Colecistite , Icterícia .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial : http://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.


Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


Publicidade/Advertisement


Notícias




Destaques