CIRROSE BILIAR PRIMÁRIA

O que é?

A cirrose biliar primária é uma destruição progressiva dos canais biliares provocada por um ataque do próprio sistema imune (sistema de defesas) do indivíduos. Os canais ou ductos biliares são finos tubos que recolhem a bile produzida dentro do fígado conduzindo-a por ductos progressivamente de maior diâmetro até a vesícula (onde é concentrada) e ao duodeno, primeira parte do intestino, onde colabora com a digestão.

Apesar do nome “cirrose biliar primária” os portadores desta doença nem sempre tem ou desenvolvem cirrose. A cirrose propriamente dita é uma doença difusa do fígado que altera as funções das suas células e da rede hepática de canais sanguíneos e biliares, podendo repercutir por todo o corpo, incluindo a circulação, os pulmões, os rins e o cérebro.

No caso da cirrose biliar primária, a lesão dos canais biliares leva ao represamento de bile com destruição progressiva de células do fígado e sua substituição por um tecido fibroso (cicatricial) não funcionante.

Como se desenvolve?

A causa dessa doença não é bem conhecida. Acredita-se que ocorra um distúrbio autoimune, assim chamado quando nosso sistema imunológico passa a produzir anticorpos (proteínas de defesa) contra células do nosso próprio organismo, acabando por destruir partes normais ao invés de apenas defendê-lo de ataques externos.

Há maior freqüência de Cirrose Biliar Primária em mulheres entre 40 e 60 anos e em certas famílias, apesar de não ser uma doença hereditária (que passa de pai para filho). Sabe-se que a doença ocorre em certas ocasiões juntamente com outras que envolvem alterações do sistema imune, como a Esclerodermia, Síndrome de Sjögren, doença celíaca (alergia ao glúten) e alguns tipos de hipotireoidismo.

O que se sente?

Podem se passar muitos anos até que se venha a sentir algo. Um dos primeiros sintomas é coceira pelo corpo, cansaço e dor no corpo e articulações (juntas).

Depois, o médico pode registrar o aumento do tamanho do fígado e do baço, nódulos de gordura na pele, tendões e pálpebras.

Mais tarde, aparecem os sinais de doença mais avançada em virtude da insuficiência do trabalho das células do fígado e devido à deficiente chegada da bile ao intestino, ocasionando:
 

Diarréia com excesso de gordura nas fezes,
Deficiência de vitaminas (especialmente A, D e K),
Aumento do colesterol;
Pele e mucosas amarelas (icterícia),
Complicações da cirrose avançada como ascite, varizes no esôfago e estômago, encefalopatia, entre outras;

Como o médico faz o diagnóstico?

A suspeita da doença pode aparecer por acaso, em exames de sangue pedidos por outro motivo.

A confirmação do diagnóstico é feita por uma combinação de resultados de exames de sangue (fosfatase alcalina, colesterol, bilirrubinas, anticorpo antimitocondrial, fator antinuclear, Imunoglobulina M, proteinograma). O exame microscópico de um fragmento hepático obtido por punção biópsia com fina agulha, sob anestesia local, muitas vezes é necessário para auxiliar no diagnóstico e avaliar o estágio da doença.

Para afastar outras causas de obstrução dos canais biliares, como câncer, cálculos e estreitamentos cicatriciais pós-operatórios, pode ser necessário um exame de imagem das vias biliares chamado colangiografia, realizável por vários métodos, entre eles, a endoscopia e a ressonância magnética.

Como se trata?

No começo, o tratamento é direcionado para diminuir os sintomas, principalmente a coceira e a má absorção de gorduras e vitaminas.

Costuma-se repor vitaminas e cálcio para prevenir a osteoporose precoce.

O Ácido Ursodeoxicólico é o remédio de escolha para diminuir a velocidade de evolução da doença, retardando a evolução para cirrose e suas complicações. O tratamento deve ser iniciado precocemente, ainda que o paciente tenha poucos ou nenhum sintoma. A dose a ser utilizada é relativamente alta, o que pode dificultar o tratamento pelo número de comprimidos diário e custo elevado. Como a medicação é capaz de controlar, mas não curar a doença, seu uso é por prazo indeterminado na maioria dos casos que apresentam boa resposta.

Num dado momento, o transplante hepático poderá ser o único tratamento, que, em nosso meio, alcança resultados semelhantes aos dos melhores centros do mundo. Sem tratamento e sem transplante, a doença seria fatal cerca de 7 a 10 anos após os primeiros sintomas.

Como se previne?

Não há forma conhecida de prevenção.

Perguntas que você pode fazer ao seu médico

Existem outras doenças associadas a essa?

Essa doença é contagiosa? Minha família tem risco de pegar?

Para que serve o tratamento? Ele cura a doença?

Devo tomar os remédios continuamente? E quando a receita acabar?

Conforme a evolução do meu caso, posso precisar de transplante de fígado?





Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


LEIA TAMBÉM

Câncer de Pâncreas e de Vias Biliares  O sintoma mais comum é uma dor abdominal vaga, de pequena ou média intensidade, localizada na região da "boca do estômago"

Cirrose  A cirrose é uma doença difusa do fígado, que altera as funções das suas células e dos sistemas de canais biliares e sanguíneos.

Cálculos Biliares  Cálculos biliares ou cálculos das vias biliares, tecnicamente são chamados de litíase biliar. Litíase vem do grego "lithos"- pedra. De fato, cálculos são pedras mais ou menos duras

Colangite Aguda  É a inflamação aguda dos canais que conduzem a bile. Isso inclui desde os mais finos, dentro do fígado ao mais calibroso, o colédoco, que recebe toda a bile produzida no fígado e aquela já acumulada na vesícula.

Hepatites  É qualquer inflamação do fígado. Pode ser causada por infecções (vírus, bactérias), álcool, medicamentos, drogas, doenças hereditárias (depósitos anormais de ferro, cobre) e doenças autoimunes.

Hepatite Autoimune  É uma inflamação crônica do fígado sem causa conhecida.

Transplante de Fígado com Doador Vivo  Na Unidade de Fígado, havendo indicação, o receptor e seus familiares são informados da existência da alternativa intervivos e dos seus resultados.

Hepatoma  Hepatoma é o mais freqüente câncer originado no fígado.

Ascite  É o acúmulo anormal de líquido no abdome, em torno do intestino e outros órgãos abdominais. Conforme sua causa, contem quantidade variada de células, bactérias, proteínas e outras substâncias.

Sangramento Gastro-Intestinal  é a perda de sangue a partir de qualquer órgão do trato digestivo (esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso).

Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement








Autor

Título: Cirrose Biliar Primária

Link :
Data de Publicação : 01/11/2001 - Revisão : 26/03/2010 - Acesso : 01/08/2014 - Código do Conteúdo : Artigo 76
Palavras-Chave : Cirrose Biliar Primária - Gastroenterologia - Cirrose , Icterícia , Autoimunidade





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial : http://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.


Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


Publicidade/Advertisement


Notícias




Destaques