ABSCESSO E CISTO DA GLÂNDULA DE BARTHOLIN

O que é?

As glândulas de Bartholin secretam muco para hidratar a região vulvar. São semelhantes às glândulas dos mamíferos. Estão localizadas bilateralmente na área vulvovaginal profundamente na vulva. Cistos e abcessos são as causas mais comuns de queixas relacionadas a essas glândulas. Tumores originados nessas glândulas são extremamente raros (carcinoma da glândula de Bartholin). As obstruções não inflamatórias dos ductos geralmente são de origem traumática, secundárias a traumatismos do períneo, lacerações obstétricas (durante o parto) ou à episiotomia (corte que, algumas vezes, se realiza no períneo para facilitar a saída do feto).

O que se sente?

  • Cistos:
  • Pequenos cistos dos ductos de Bartholin podem ser encontrados nos exames pélvicos de rotina podendo ser assintomáticos até atingirem um tamanho considerável ou causarem sintomas como dor vulgar, desconforto durante a relação sexual, dificuldade para caminhar ou sentar.


Como se trata?

Os cistos assintomáticos não requerem tratamento. Quando há sintomas importantes e nos casos recorrentes a cirurgia pode ser necessária. Como o local é muito vascularizado, pode haver sangramento de difícil controle, causando hematomas importantes. A biópsia deve ser considerada em mulheres acima de 40 anos para excluir carcinoma.

  • Abscessos:

A infecção e a obstrução do ducto, com formação de um abscesso, é um quadro agudo que requer intervenção imediata. A queixa principal é a dor, muitas vezes intensa. O local apresenta-se tenso, quente e muito sensível. Pode haver uma zona vermelha ao redor da abertura do canal e saída de secreção. Os germes freqüentemente envolvidos são aqueles de transmissão sexual, como o gonococo e a clamídia, ou anaeróbios (germes comuns no intestino).

Como se trata?

Os abscessos da glândula de Bartholin podem drenar (romper) espontaneamente ou devem ser drenados cirurgicamente sob anestesia local ou geral. Aqueles que drenam espontaneamente têm chance maior de recorrer (voltar). Banhos de assento e medicação para dor podem aliviar o desconforto. O uso de antibióticos está indicado em algumas pacientes (pacientes diabéticas, com comprometimento sistêmico ou imunossuprimidas).





Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


LEIA TAMBÉM

Corrimento Vaginal  São as alterações caracterizadas por um fluxo vaginal anormal, geralmente com volume aumentado, podendo ter ou não cheiro desagradável, irritação, coceira ou ardência na vagina ou na vulva e vontade de urinar freqüentemente.

Clamídia, Gonorreia, Tricomoníase e Herpes - DST na Mulher  Os sintomas mais comuns são a secreção esverdeada ou acinzentada, fluída, abundante, espumante e com mau cheiro.

Clamídia no Homem  É uma infecção sexualmente transmitida acometendo geralmente a uretra e causada pela Chlamydia trachomatis.

Gonorreia no Homem  A gonorréia se transmite através de relações sexuais com parceiras contaminadas. O risco de se contaminar, na primeira vez, é de 15-20%

Vaginismo  É a contração involuntária dos músculos próximos à vagina que impedem a penetração pelo pênis, dedo, ou espéculo ginecológico ou mesmo um tampão.

Vagina  Com grande número de terminações nervosas e paredes elásticas, a vagina é o canal do órgão sexual feminino e parte do aparelho reprodutor, que se estende desde o colo do útero até a vulva.

Câncer de Vagina  Representa aproximadamente 1% dos tumores ginecológicos. Os tipos que ocorrem são tumores escamosos, adenocarcinoma, melanoma, sarcoma.

Câncer de Colo do Útero  É o câncer mais comum entre as mulheres no Brasil, correspondendo a, aproximadamente, 24% de todos os cânceres

Exame Ginecológico  O exame ginecológico propriamente dito se compõe de três aspectos

Ferimentos nos Genitais Femininos  O tipo mais comum de ferimento genital acidental é o traumatismo fechado causado pela queda contra um objeto duro, chamada de "queda a cavaleiro", tal como a queda sobre o selim ou o quadro da bicicleta, sobre uma barra, sobre uma cerca ou borda de banheira.

Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement








Autor

Título: Abscesso e Cisto da Glândula de Bartholin

Link :
Data de Publicação : 01/11/2001 - Revisão : 05/01/2010 - Acesso : 21/07/2014 - Código do Conteúdo : Artigo 2
Palavras-Chave : Abscesso e Cisto da Glândula de Bartholin - Ginecologia e Obstetrícia - Bartolinite , Inflamação da Glândula de Bartholin , Abscesso na Vulva , Abscesso na Vagina , Dor Intensa , Secreção , Infecção , transmissão sexual . DST .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial : http://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.


Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


Publicidade/Advertisement


Notícias




Destaques