CLAMÍDIA, GONORRÉIA, TRICOMONÍASE E HERPES GENITAL - DST NA MULHER

Tricomoníase

Causada por um protozoário móvel, o Trichomonas vaginalis. É considerada uma DST (doença sexualmente transmissível). Os sintomas mais comuns são a secreção esverdeada ou acinzentada, fluída, abundante, espumante e com mau cheiro. O exame direto da secreção vaginal demonstra o protozoário. O tratamento deve ser realizado com medicação em dose única e o parceiro sempre deve ser tratado.

Clamídia

A infecção causada pela bactéria conhecida como Clamydia trachomatis é a DST mais comum nos EUA, atingindo principalmente mulheres jovens, solteiras e com múltiplos parceiros sexuais. A transmissão é sexual mas, nas mulheres grávidas infectadas, pode provocar o parto prematuro e ser transmitida durante o mesmo, causando conjuntivite ou mesmo pneumonia no recém-nascido. Muitas vezes a infecção pela clamídia é assintomática, podendo persistir durante vários anos. Geralmente causa uma cervicite (inflamação das células do colo do útero), tendo como sintomas o corrimento vaginal mucopurulento e sangramento após a relação sexual. O diagnóstico padrão é a cultura da secreção da endocérvice ou os novos testes de captura híbrida, mas pode ser detectada no sangue através de testes de imunofluorescência de anticorpos. Pode evoluir para uma doença inflamatória pélvica, atingindo todo o trato genital superior. Sempre deve ser diagnosticada e tratada, pois suas conseqüências são muito sérias, podendo levar à infecção crônica, à gravidez ectópica ou à infertilidade. O tratamento recomendado é o uso de antimicrobianos sistêmicos e inclui obrigatoriamente o encaminhamento do parceiro sexual ao médico. A prevenção enfatiza a prática de sexo seguro, com o uso correto de preservativos, como a única maneira de proteção efetiva para evitar o contágio.

Gonorréia

A gonorréia é uma das doenças infecciosas mais comuns em todo o mundo. É causada por uma bactéria conhecida como gonococo, facilmente transmitida durante as relações sexuais (sexo vaginal, anal ou oral). Atinge todo o trato urogenital e muitas vezes pode ser assintomática. Entretanto, principalmente nas mulheres, pode causar alguns sintomas como: secreção vaginal, disúria (ardência para urinar) ou sangramento uterino anormal.

O número de infecções está aumentando consideravelmente nos últimos anos, principalmente entre os jovens.

O diagnóstico pode ser feito através de cultura da secreção endocervical ou pela constatação do gonococo pela coloração de Gram. O tratamento é realizado com o uso de antibiótico em dose única, para o casal, pois como a infecção simultânea pela clamídia é comum, deve ser instituído tratamento também simultâneo para a mesma.

Herpes Genital

Causada pelo vírus Herpes simples, é uma doença sexualmente transmissível (DST), recorrente, que se manifesta por úlceras genitais. Uma vez a pessoa infectada pelo vírus, ele permanece latente para sempre, residindo na raiz nervosa e só ocasionando sintomas quando reaparece.

A primeira infecção apresenta, como sintomas, manifestações sistêmicas de uma síndrome viral, com febre e mal-estar geral. Após, aparecem vesículas geralmente múltiplas na vulva, que se unem e formam úlceras rasas e dolorosas. O surto é autolimitado e as lesões curam espontaneamente em torno de 14 dias. Os episódios seguintes, em geral, apresentam menor duração e sintomas mais brandos, sendo precedidos por coceira ou queimação. Os surtos podem ser desencadeados por alguma alteração na resposta imune como estresse, gestação, menstruação, cansaço ou um estado imunocomprometido.

O diagnóstico geralmente é feito pela inspeção, podendo ser realizada cultura do líquido viral nas vesículas. As complicações mais freqüentes são a retenção urinária aguda e a encefalite herpética.

O tratamento tem como objetivo encurtar a duração dos sintomas, prevenir as complicações e recorrências e diminuir a transmissão, pois o vírus não pode ser completamente eliminado. Pode ser utilizada medicação via oral ou medicação tópica para aliviar os sintomas, apesar de menos eficaz.

Como prevenção devemos orientar as mulheres no sentido de não terem relações sexuais desde o início dos sintomas até a completa reepitelização das úlceras, utilizando sempre preservativos para maior proteção.





Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


LEIA TAMBÉM

Cuidados com o Sexo e suas Variações  Se você acha que só é possível sentir prazer com a penetração, engana-se.

Anticoncepção - Métodos de Barreira  O objetivo dos agentes espermaticidas é imobilizar e destruir os espermatozóides, dificultando ou impedindo a penetração desses no canal cervical. Duchas vaginais pós-coito, mesmo contendo espermaticidas não têm eficácia anticoncepcional.

Herpes Simples  A transmissão do vírus se faz preferentemente por contato direto pessoa – pessoa, mesmo que não haja lesão ativa.

Cistite  É o nome que se dá para doenças inflamatórias e/ou infecciosas da bexiga. As cistites mais freqüentes são causadas por germes oriundos do nosso trato intestinal. Uma delas é a bactéria conhecida por Escherichia coli.

Uso da Camisinha  Mesmo que muitas coisas já tenham sido ditas sobre o seu uso, as pessoas ainda são resistentes a fazerem da camisinha um hábito.

Corrimento Vaginal  São as alterações caracterizadas por um fluxo vaginal anormal, geralmente com volume aumentado, podendo ter ou não cheiro desagradável, irritação, coceira ou ardência na vagina ou na vulva e vontade de urinar freqüentemente.

Aids  Doença infecciosa causada pelo vírus da imunodeficiência humana, que leva a uma perda da imunidade progressiva resultando em infecções graves, tumores malignos e manifestações causadas pelo próprio vírus

Abscesso e Cisto da Glândula de Bartholin  As glândulas de Bartholin secretam muco para hidratar a região vulvar. São semelhantes às glândulas dos mamíferos. Estão localizadas bilateralmente na área vulvovaginal profundamente na vulva

Sífilis  É uma doença infecciosa crônica causada por uma bactéria chamada Treponema pallidum, adquirida, na maior parte das vezes, por contato sexual com outra pessoa contaminada.

Uretrites  As uretrites mais comuns são as infecciosas sexualmente transmitidas. Essas são classificadas em uretrites gonocócicas e não gonocócicas.

Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement








Autor

Título: Clamídia, Gonorreia, Tricomoníase e Herpes - DST na Mulher

Link :
Data de Publicação : 01/11/2001 - Revisão : 05/01/2010 - Acesso : 22/07/2014 - Código do Conteúdo : Artigo 483
Palavras-Chave : Clamídia, Gonorreia, Tricomoníase e Herpes - DST na Mulher - Ginecologia e Obstetrícia - Tricomoníase , Clamídia , Gonorréia , Herpes Genital , ardência para urinar , camisinha, dst , trato genital .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial : http://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.


Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


Publicidade/Advertisement


Notícias




Destaques