DOENÇA INFLAMATÓRIA PÉLVICA

O que é?

A doença inflamatória pélvica (DIP) engloba o conjunto de doenças inflamatórias do trato genital feminino superior: útero, trompas e ovários. Atinge a mulher jovem ao redor dos 20 anos, 35 anos

É a complicação mais comum e mais séria da doença sexualmente transmissível, causando altos índices de gravidez ectópica (fora do útero), dor pélvica crônica e infertilidade.

Como se adquire?

A causa mais comum é a transmissão sexual transmissão sexual, mas também pode surgir após procedimentos ou eventos ginecológicos, como Não parece que essas outras formas estão mais enfatizadas do que a transmissão sexual?
 

parto
aborto
inserção de um DIU (dispositivo intra-uterino) para contracepção,
biópsia de endométrio
histeroscopia
curetagem uterina

As bactérias mais freqüentemente envolvidas na DIP são a Chlamydia trachomatis e a Neisseria gonorrhea, entretanto, bactérias da flora vaginal normal podem estar presentes.

O que se sente?

Os sintomas mais comuns são:
 

Corrimento vaginal (leucorréia) usualmente com coloração, odor e consistência alterada e dor abdominal baixa, não deveria ter um destaque separado desde que é o principal sintoma ? Que se iniciam logo após o período menstrual.
Pode ocorrer febre, calafrios, dor durante a relação sexual ou sangramento menstrual irregular.

É importante diferenciar de outras doenças que causam sintomas similares, como apendicite aguda e gravidez ectópica.

Como o médico faz o diagnóstico?

O diagnóstico inclui o exame físico, no qual se determina a presença e as características do corrimento, dor à palpação abdominal e dor à palpação e mobilização do útero. Alguns exames laboratoriais como hemograma, teste de gravidez (hCG), pesquisa de clamídia e gonococo, E.Q.U, exame a fresco do conteúdo vaginal, bem como ecografia pélvica auxiliam na confirmação do diagnóstico.

Como é o tratamento?

O tratamento da DIP não complicada deve ser no âmbito ambulatorial com o uso de antibióticos e acompanhamento regular da paciente.

A DIP complicada requer hospitalização e terapêutica antibiótica endovenosa seguida por complementação oral.

O parceiro sexual sempre deverá ser tratado.

OBS: 0 CDC recomenda que o médico deve ficar atento para a suspeita e o diagnóstico de DIP em mulheres jovens sexualmente ativas e que a combinação de dor abdominal, dor a mobilização do útero e anexos, e “amolecimento” cervical, combinado ou não aos outros sintomas, deve levar sempre ao imediato tratamento empírico!!!

Prevenção

A prevenção inclui a necessidade de comportamento sexual seguro, estimulando o uso de preservativos e de anticoncepção efetiva.





Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


LEIA TAMBÉM

Aids  Doença infecciosa causada pelo vírus da imunodeficiência humana, que leva a uma perda da imunidade progressiva resultando em infecções graves, tumores malignos e manifestações causadas pelo próprio vírus

Anticoncepção  A decisão do casal na escolha dos vários métodos anticoncepcionais passa pela análise das vantagens e desvantagens de cada técnica.

Anticoncepção - Métodos de Barreira  O objetivo dos agentes espermaticidas é imobilizar e destruir os espermatozóides, dificultando ou impedindo a penetração desses no canal cervical. Duchas vaginais pós-coito, mesmo contendo espermaticidas não têm eficácia anticoncepcional.

Corrimento Vaginal  São as alterações caracterizadas por um fluxo vaginal anormal, geralmente com volume aumentado, podendo ter ou não cheiro desagradável, irritação, coceira ou ardência na vagina ou na vulva e vontade de urinar freqüentemente.

Clamídia no Homem  É uma infecção sexualmente transmitida acometendo geralmente a uretra e causada pela Chlamydia trachomatis.

Gonorreia no Homem  A gonorréia se transmite através de relações sexuais com parceiras contaminadas. O risco de se contaminar, na primeira vez, é de 15-20%

Gravidez Ectópica  É a gestação que ocorre fora da cavidade uterina.

Herpes Simples  A transmissão do vírus se faz preferentemente por contato direto pessoa – pessoa, mesmo que não haja lesão ativa.

Verrugas  É um tumor benigno causado por vírus (HPV) Pappilomavirus humano, vírus este que pode causar também tumores malignos no colo do útero ou no pênis, segundo o sorotipo

Clamídia, Gonorreia, Tricomoníase e Herpes - DST na Mulher  Os sintomas mais comuns são a secreção esverdeada ou acinzentada, fluída, abundante, espumante e com mau cheiro.







Autor

Título: Doença Inflamatória Pélvica

Link :
Data de Publicação : 01/11/2001 - Revisão : 05/01/2010 - Acesso : 31/08/2014 - Código do Conteúdo : Artigo 156
Palavras-Chave : Doença Inflamatória Pélvica - Ginecologia e Obstetrícia - Doença Pélvica , Inflamação da Pelve , Complicação de Doenças Transmissíveis





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial : http://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.


Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


Publicidade/Advertisement


Notícias




Destaques