INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

O que é?

A insuficiência renal crônica (IRC) é o resultado das lesões renais irreversíveis e progressivas provocadas por doenças que tornam o rim incapaz de realizar as suas funções.

O ritmo de progressão depende da doença original e de causas agravantes, como hipertensão, infecção urinária, nefrite, gota e diabete. Muitas vezes a destruição renal progride pelo desconhecimento e descuido dos portadores das doenças renais.

Em cada 5.000 pessoas uma adoece dos rins por vários tipos de doenças. Quando o rim adoece, ele não consegue realizar as tarefas para as quais foi programado, tornando-se insuficiente.

Geralmente, quando surge uma doença renal, ela ocorre nos dois rins, raramente atingindo um só. Quando o rim adoece por uma causa crônica e progressiva, a perda da função renal pode ser lenta e prolongada. Por isso, o acompanhamento médico das doenças renais é importante para prolongar o bom funcionamento do rim por muito tempo, mesmo com certos graus de insuficiência.

O rim pode perder 25%, 50% e até 75% das suas capacidades funcionais, sem causar maiores danos ao paciente. Mas, quando a perda é maior do que 75%, começam a surgir problemas de saúde devido às alterações funcionais graves e progressivas. Os exames laboratoriais tornam-se muito alterados.

As principais doenças que tornam o rim incapaz ou insuficiente são:

Hipertensão arterial severa
Diabetes
Infecção dos rins
Nefrites
Doenças hereditárias (rim com cistos)
Pedras nos rins (cálculos)
Obstruções

Como se reconhece a doença crônica renal?

São facilmente identificáveis os problemas clínicos que a insuficiência renal traz às pessoas:

Hipertensão arterial, de moderada a severa
Anemia severa que não responde ao tratamento com sulfato ferroso
Edema por todo o corpo, aumentando o peso
Pele pálida (cor de palha)
Fraqueza, cansaço, emagrecimento, coceira no corpo, falta de apetite Náuseas e vômitos
Cheiro desagradável na boca, pelo aumento da uréia no sangue
Piora da hipertensão arterial
Aumento do volume de urina sempre muito clara (nunca mudando de cor)
Necessidade freqüente de urinar, com tendência de maior volume à noite
Nas mulheres, alterações menstruais e abortamento fácil

Como se previne?

A melhor maneira de retardar a fase final da IRC é seguir todas as recomendações médicas e evitar os fatores agravantes da lesão renal, que são:

Reagudização das glomerulonefrites e dos processos inflamatórios do rim
Infecções urinárias agudas e crônicas
Agravamento e descontrole da hipertensão arterial
Dietas inadequadas (sal, proteína, água e potássio)
Diabete descompensado
Uso indiscriminado de corticóides e antinflamatórios
Obstruções das vias urinárias (próstata, cálculos, tumores)

Como se trata?

A permanência no estágio crônico pode ser breve ou longa, dependendo do tipo de doença que afeta o rim, dos cuidados e orientações recebidos.

Nas fases iniciais da IRC diminuir proteínas, sal e alimentos que contenham fósforo é fundamental no tratamento dietético. Remédios para reduzir a perda de albumina na urina ajudam a preservar a função renal. O controle adequado da pressão arterial em quem tem pressão alta e do diabetes também são aspectos muito importantes no tratamento.

Se a doença continuar destruindo o rim até atingir 90% de sua atividade, os 10% restantes muito pouco poderão fazer para manter a saúde do paciente. Nesse momento, a dieta, os diuréticos, os anti-hipertensivos e outros medicamentos ajudam muito pouco. Torna-se necessário o uso da diálise e/ou o transplante renal.

Perguntas que você pode fazer ao seu médico

Que doença atingiu o meu rim?

Qual a capacidade funcional atual do meu rim?

O que devo fazer para evitar a evolução da minha doença renal?

Quando terei que fazer hemodiálise?





Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


LEIA TAMBÉM

Introdução às Doenças Renais  A urina é formada pela eliminação da água desnecessária, dos sais e outros produtos que não devem ser acumulados no nosso sangue.

Orientações para Pacientes com Insuficiência Renal  Infelizmente, uma em cada 5.000 pessoas adoece dos rins por motivos diversos. Quando o rim adoece, ele não consegue realizar as tarefas para as quais foi programado, tornando-se insuficiente.

Insuficiência Renal  É um diagnóstico que expressa uma perda maior ou menor da função renal. Qualquer desvio funcional, de qualquer uma das funções renais, caracteriza um estado de insuficiência renal.

Insuficiência Renal Aguda  A insuficiência renal aguda deve ser evitada para que as lesões renais não se tornem irreversíveis.

Cólica Renal  É uma dor aguda, intensa, oscilante (vai e vem) proveniente do aparelho urinário superior (rim). É uma das dores mais atrozes da medicina e geralmente causada por pedras (cálculos) no rim ou no ureter. A pedra causa obstrução da urina que vem do rim, dilatando-o.

Cisto Renal  Os cistos podem ocorrer em um ou nos dois rins e são, quase sempre, em pequeno número e de tamanho menor que 3 cm. Quando todo o rim é tomado por incontáveis cistos, de tamanhos variáveis, chama-se rim policístico

Transplante Renal  O transplante é a substituição dos rins doentes por um rim saudável de um doador. É o método mais efetivo e de menor custo para a reabilitação de um paciente com insuficiência renal crônica terminal.

Quando Procurar um Nefrologista  Nefrologia - É a área da medicina que estuda e pesquisa o funcionamento dos rins e as doenças renais.

Ácido Úrico e Doenças Renais  Há 3 doenças renais (nefropatias) importantes, entre outras, provocadas pelas anormalidades do ácido úrico.

Cálculos Renais  O depósito organizado de sais minerais nos rins ou em qualquer parte do aparelho urinário é o que se chama de cálculo urinário.

Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement








Autor

Título: Insuficiência Renal Crônica

Link :
Data de Publicação : 01/06/2009 - Revisão : 05/01/2010 - Acesso : 29/07/2014 - Código do Conteúdo : Artigo 700
Palavras-Chave : Insuficiência Renal Crônica - Nefrologia - Hipertensão arterial severa , Diabetes , Infecção dos rins , Nefrites , Pedras nos rins , Obstruções .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial : http://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.


Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


Publicidade/Advertisement


Notícias




Destaques