TUMORES ODONTOGÊNICOS: A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE

Os tumores odontogênicos, também chamados de mixomas ou neoplasias bucais são lesões derivadas dos remanescentes celulares que se originam durante a formação e erupcionamento (“nascimento”) dentários, não devendo ser confundidos com neoplasias malignas, do tipo câncer. Como tem relação com os dentes, são encontrados, exclusivamente, na mandíbula ou no maxilar superior (maxila) e devem ser considerados no diagnóstico diferencial de lesões envolvendo estes locais.

A causa do desenvolvimento destas lesões ainda permanece desconhecida. Clinicamente, os tumores odontogênicos, quase sempre, não se apresentam doloridos, razão pela qual existe uma demora do paciente em procurar o especialista, neste caso, o cirurgião-dentista, quem normalmente primeiro tem acesso à lesão. Podem causar ainda expansão dos ossos maxilares, movimentação e reabsorção das raízes dentárias e perda óssea importante, muitas vezes causando fraturas inesperadas e indesejadas.

O conhecimento das características clínicas dos variados tumores odontogênicos é extremamente importante no diagnóstico e tratamento precoces destas lesões. Como ocorre nas neoplasias em outros locais do corpo, os tumores odontogênicos se assemelham, ao microscópio, aos tecidos e células de origem. Podem aproximar-se dos tecidos moles do esmalte ou da polpa dentária, geralmente contendo elementos mineralizados (calcificados) destas estruturas.

Muitos esquemas de classificação têm sido apresentados para este grupo complexo de lesões, sendo comum a todos a divisão em: epiteliais, mesenquimais e mistos.

Características Clínicas e Radiográficas dos tumores odontogêncios ou mixoma odontogênico.

O mixoma odontogênico é um tumor odontogênico classificado como mesenquimal, derivado do ligamento periodontal ou polpa dentária. Aparece geralmente em adultos, podendo ocorrer também em jovens. Encontra-se tanto na maxila como na mandíbula e não apresenta preferência por sexo. Embora não seja tumor maligno, é de potencial extremamente recidivante, ou seja, mesmo com a sua remoção é passível que se forme novamente.. A explicação encontrada para isso é que, como não existe uma “cápsula” envolvendo o tumor, a sua remoção total é geralmente incerta. Pode apresentar grande volume de expansão dentro da boca, causando males muitas vezes irreversível, como movimentações dentárias e expansão de ossos adjacentes. Motivo pelo qual é importante o diagnóstico precoce, o que só pode ser feito pelo cirurgião-dentista, que observa sinais indicativos como pequenas assimetrias, posição dos dentes e outros detalhes. O paciente só percebe quando o tumor toma grandes dimensões, pois ele é indolor, normalmente não sangra e evolui lentamente..

Aspecto dentro da boca de fácil observação quando atinge tamanho grande.

Aspecto externo, provocando assimetria facial quando o tumor é grande.

Quando apresenta algum sinal e é investigado radiograficamente, o tumor aparece como imagem escura, bem caracterizada.

Aspecto radiográfico de tumor grande em que movimentou os dentes da região afetada.

Tratamento

A remoção cirúrgica é o tratamento de escolha. Devido a consistência frequentemente amolecida e gelatinosa, a curetagem pode resultar em remoção incompleta. A ausência de uma “cápsula” envolvendo a lesão também colabora para as recidivas, como citado anteriormente, principalmente se a remoção cirúrgica for muito conservadora, razão pela qual o diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar grandes mutilações,

Apesar de essas lesões serem extremante agressivas e possuírem alto grau de recidivas, o prognóstico é bom.





Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


LEIA TAMBÉM

Dentes do Siso  Órgão dentário que, mesmo completamente desenvolvido, não fez sua erupção na época normal, encontrando-se totalmente rodeado por tecido ósseo ou por tecido ósseo e mucosa

Problemas na Mandíbula  O ato de mastigar é mais complexo do que nos parece! Vários grupos musculares, ligamentos, articulações, ossos e as arcadas dentárias são responsáveis pela coordenada e harmônica abertura e fechamento da mandíbula.

Fistula e Dentes  Fístula é um sinal clínico de que na região de seu aparecimento existe infecção em atividade. São entidades clínicas que caracterizam-se pela manifestação muito próxima da origem infecciosa.

Dentes e Coração  Endocardite é uma doença séria associada a mortalidade significante.Diretrizes de manejo de pacientes com doença valvar ou cardiopatia com alteração anatômica.

Dentes Tortos  A Ortodontia, ramo da odontologia que se dedica à correção da oclusão dentária (maneira como os dentes fecham,ocluem os de cima com os de baixo) e dos dentes tortos, alcançou tamanho desenvolvimento técnico, nos últimos anos, que permite ao especialista a realização de tratamentos eficientes com excelentes resultados, tanto estéticos quanto funcionais.

Dentes na Aparência Física  Padrões de beleza variam de cultura para cultura, mas a maioria das pessoas valorizam muito mais características faciais bem equilibradas, principalmente na região da boca.

Perda de Dente em Acidente  Avulsão é a queda de um ou mais dentes por acidente com a saída total do alvéolo da peça dentária. As agressões na face tem como local mais freqüente de conseqüências os dentes anteriores superiores e em segundo plano os inferiores.

Respiração, Os Dentes e a Face  Atualmente, os problemas respiratórios na infância estão cada vez mais freqüentes, porém pouca gente sabe, da relação desses problemas, principalmente nas crianças que respiram constantemente pela boca, com os problemas ortodônticos, a maloclusão dentária.

Dentes Tortos, Correção Com e Sem Extrações  Em alguns casos, para que se consigam os melhores resultados, tanto estéticos quanto funcionais, é necessário extrair dentes. Não é certo generalizar, tanto para o lado das extrações quanto para não extrações. Cada caso é um caso e isto é sempre avaliado com extremo critério pelo especialista em ortodontia.

Correção Cirúrgica da Face e Dentes  A cirurgia ortognática é o tratamento para pacientes que possuem deformidades envolvendo o esqueleto facial e os dentes.

Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement








Autor

Título: Tumores Odontogênicos: A Importância do Diagnóstico Precoce

Link :
Data de Publicação : 05/01/2010 - Revisão : 05/01/2010 - Acesso : 29/07/2014 - Código do Conteúdo : Artigo 718
Palavras-Chave : Tumores Odontogênicos: A Importância do Diagnóstico Precoce - Odontologia - mixomas , neoplasias bucais , lesões , mesenquimal , ligamento periodontal , polpa dentária , ossos maxilares , maxilar superior , maxila .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial : http://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.


Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


Publicidade/Advertisement


Notícias




Destaques