PREVENÇÃO PARA O CÂNCER DE ENDOMÉTRIO

Sinônimos:

Prevenção de Câncer do Útero.

O que é prevenção de um tipo de câncer?

Prevenir o aparecimento de um tipo de câncer é diminuir as possibilidades de que uma pessoa desenvolva essa doença através de ações que a afastem de fatores que propiciem o desarranjo celular que acontece nos estágios bem iniciais, quando apenas algumas poucas células estão sofrendo as agressões que podem transformá-las em malignas. São os chamadosfatores de risco.

Além disso, outra forma de prevenir o aparecimento de câncer é promover ações sabidamente benéficas à saúde como um todo e que, por motivos muitas vezes desconhecidos, estão menos associadas ao aparecimento desses tumores.

Nem todos os cânceres têm esses fatores de risco e de proteção identificados e, entre os já reconhecidamente envolvidos, nem todos podem ser facilmente modificáveis, como a herança genética (história familiar), por exemplo.

Como se faz prevenção no câncer uterino?

O endométrio é a camada que reveste o útero por dentro. É ele que se desenvolve e se desprende no ciclo menstrual, dando origem ao sangramento que acontece durante a menstruação. O útero fica na região mais baixa do abdômen, na pequena pelve, junto da bexiga e se abre na vagina pelo colo uterino. Apesar de o útero ser formado de outras partes, como o músculo e a sua camada externa que recobre o útero por fora, o endométrio é a sua porção que mais comumente pode sofrer transformações e que, por sua vez, podem tornar-se um câncer.

Os tumores que crescem no útero podem ser benignos (miomas) ou malignos. Os tumores malignos têm um crescimento celular desordenado e têm a capacidade de se espalhar para outras partes do corpo (as metástases).

O câncer de endométrio, como a maioria dos tipos de câncer, tem fatores de risco identificáveis (para maiores informações sobre fatores de risco para esse tipo de câncer leia o artigo "Detecção Precoce do Câncer de Útero" nesse site) .

Alguns desses fatores de risco são modificáveis, ou seja, pode-se alterar a exposição que cada pessoa tem a esse determinado fator, diminuindo a sua chance de desenvolver esse tipo de câncer.

Há também osfatores de proteção. Ou seja, fatores que, se a pessoa está exposta, a sua chance de desenvolver esse tipo de câncer diminui. Entre esses fatores de proteção também há os que se pode modificar, se expondo mais a eles.

Os fatores de risco e proteção para câncer de útero mais conhecidos e que podem ser modificados são:
&nbsp

Dieta

Pessoas que ingerem alimentos ricos em gorduras animal e saturada (carne, manteiga, leite integral, queijos, natas, banha, torresmo, creme de leite, lingüiça, salame, presunto, frituras, pele de frango, carne gorda), têm mais possibilidade de desenvolver esse tipo de câncer. Mulheres obesas têm mais chance de desenvolver câncer de útero. Manter-se dentro da faixa de peso ideal (veja cálculo de IMC nesse site) e comer dieta pobre em gordura diminui as possibilidades de desenvolver esse tipo de câncer.

História ginecológica

Mulheres que menstruaram pela primeira vez muito cedo (antes dos 12 anos) e entraram na menopausa muito tarde (após os 50 anos) ficam mais tempo expostas a fontes naturais de estrogênio. Esse hormônio está associado a esse tipo de tumor. Logo, quanto mais tempo exposto a ele maior possibilidade de desenvolver câncer de endométrio.

Mulheres que nunca tiveram filhos também têm risco aumentado para esse tipo de câncer. Provavelmente pelo mesmo motivo anterior, uma maior exposição ao hormônio estrogênio. Por isso, mulheres que têm essas características devem fazer com freqüência exames ginecológicos e ecografias que controlam as alterações precoces no útero com freqüência.

O intervalo entre um exame e o outro depende do resultado do exame anterior e da presença de outros fatores de risco. Fale com o seu médico sobre qual o intervalo necessário para se fazer esse exame no seu caso específico.

História familiar

Há várias doenças que estão associadas a esse tipo de tumor. As mulheres das famílias que tem a anormalidade genética conhecida como Câncer Coloretal Hereditário Não Poliposo têm esse risco aumentado. Essas mulheres devem fazer exames ginecológicos e ecografias que controlam as alterações precoces no útero, com freqüência.

Terapia hormonal

Mulheres que fazem uso de terapia de reposição hormonal para diminuir os sintomas da menopausa ou que usam a medicação Tamoxifen (uma medicação para quem tem câncer de mama) têm risco aumentado para desenvolver esse tipo de tumor. Exames ginecológicos freqüentes para detectar alterações precoces no endométrio e fazer o procedimento necessário para retirar essas áreas alteradas, diminuem as chances de desenvolver esse tumor. Muitas vezes a retirada total do útero está indicada.

Anticoncepcional Oral

Tomar pílulas anticoncepcionais faz com que a mulher seja menos exposta a altos níveis de estrogênio endógeno (produzido por ela mesma). Com isso a sua exposição total a esse tipo de hormônio é menor, o que faz com que o seu risco para esse tipo de tumor também seja menor. Usar ACO diminui as chances de desenvolver câncer do útero.




Publicidade/Advertisement

Perguntas que você pode fazer ao seu médico

Nunca tive filhos e agora estou preocupada se posso ter câncer no útero. O que posso fazer para prevenir esse tipo de câncer?

Tive câncer de mama. O que posso fazer para não ter outros tipos de câncer de mulher?




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Câncer de Colo do Útero  É o câncer mais comum entre as mulheres no Brasil, correspondendo a, aproximadamente, 24% de todos os cânceres

Câncer de Endométrio  É o câncer de corpo uterino mais freqüente, de incidência crescente nas últimas duas décadas. Ocupa o 4º lugar das neoplasias malignas da população feminina sendo o 2º tumor pélvico mais freqüente entre as brasileiras.

Doença Inflamatória Pélvica  A doença inflamatória pélvica (DIP) engloba o conjunto de doenças inflamatórias do trato genital feminino superior: útero, trompas e ovários. Atinge a mulher jovem ao redor dos 20 anos, 35 anos

Câncer de Ovário  As neoplasias de ovário devem crescer muito até produzirem sintomas para a paciente, o que faz com que a maioria desses tumores seja diagnosticada quando já estão num estágio avançado

Câncer de Vagina  Representa aproximadamente 1% dos tumores ginecológicos. Os tipos que ocorrem são tumores escamosos, adenocarcinoma, melanoma, sarcoma.

Câncer de Vulva  O câncer de vulva representa 4% dos tumores ginecológicos malignos e ocorre predominantemente em mulheres acima dos 50 anos.

Cistos de Ovário  São freqüentemente encontrados em mulheres em idade reprodutiva. As mulheres mais propensas a formação de cistos são aquelas com idade entre os 20 e 35 anos, as portadoras de endometriose ou com doença inflamatória pélvica

Sangramento Uterino Anormal  É uma das queixas mais comuns em ginecologia, atingindo desde adolescentes até mulheres após a menopausa.

Anticoncepção  A decisão do casal na escolha dos vários métodos anticoncepcionais passa pela análise das vantagens e desvantagens de cada técnica.

Câncer de Endométrio - Detecção Precoce  Fatores de risco mais comuns associados ao câncer de endométrio


Autor

Título: Câncer de Endométrio - Prevenção

Link : | Data de Acesso : 05/12/2016 - Código do Conteúdo : Artigo 335 | Palavras-Chave : Câncer de Endométrio - Prevenção - Cancerologia - fatores de proteção , útero , Dieta , História ginecológica , Terapia hormonal , Anticoncepcional Oral , pílulas anticoncepcionais .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial :https://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2016 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.