INFARTO DO MIOCÁRDIO E NITROGLICERINA

CURIOSIDADES

No passado, até o início do século vinte, o termo infarto do miocárdio não era de uso comum. Até então, denominavam o quadro clínico que hoje corresponde ao do infarto do miocárdio de "angina do peito", que vem do latimangor, que significa medo. Portanto, angina do peito é dor no precordio que dá medo.

Quando alguém sentia as dores da angina e não morria, denominavam o quadro clínico de falsa angina.
&nbsp

A falsa angina - era a dor precordial que cedia com o repouso ou então que não levava o paciente à morte.
A verdadeira angina do peito - era a dor que terminava na morte do paciente.

Na época, diziam que a verdadeira angina mata, e a falsa angina, embora se manifeste por sintomas semelhantes, não era fatal. Todas as dores eram denominadas de angina, quando matava era denominada deverdadeira; se o doente sobrevivia era a falsa angina.Hoje em dia, não se usam mais estes dois termos que foram substituídos por:
&nbsp

Infarto do miocárdio
Angina

A falsa angina de então é, hoje, o que se chama deangina pectorisou angina do peito ou simplesmente angina.

A verdadeira angina era o que atualmente denominamos de infarto do miocárdio, com as suas alterações no eletrocardiograma, alterações laboratoriais, radiológicas e manifestações clínicas sugestivas de infarto do miocárdio. O infarto do miocárdio, embora seja uma moléstia grave, na maioria dos casos, não é sinônimo de morte.

Devido a esta confusão de termos, algumas pessoas, ainda hoje, relatam que um de seus ancestrais morreu de angina do peito. Como sabemos, a angina do peito não costuma ser fatal e provavelmente essas pessoas faleceram de infarto. Pelo mesmo motivo, existem pessoas que afirmam ter sofrido diversos infartos do miocárdio. Ao serem examinadas, o seu eletrocardiograma não revela as cicatrizes e, na necropsia, não há seqüelas ou cicatrizes de infarto no passado.

Sobre Nitroglicerina e Medicamentos

Hoje em dia, o medicamento de escolha para tratar a angina do peito é a nitroglicerina (ou trinitrina) e seus derivados.

A Nitroglicerina foi descoberta em fins do século XVIII, pelo químico Ascanio Sobrero. Misturando glicerina, ácido sulfúrico e ácido nítrico, ele descobriu a nitroglicerina, substância altamente explosiva e de manuseio muito perigoso. O interesse de Alfred Nobel pela Nitroglicerina vem do fato de seu pai, Immanuel Nobel, ter sido fabricante de bombas e minas marítimas à base de pólvora, usadas principalmente pelo exército russo na guerra da Criméia. Alfred Nobel e Ascanio Sobrero se conheceram e se tornaram amigos em Paris. Nobel viu na nitroglicerina um futuro promissor e iniciou as suas investigações principalmente com finalidades bélicas.

Ascanio Sobrero já havia observado que a substância por ele descoberta provocava dores de cabeça. Sabe-se hoje que essas dores de cabeça são provocadas pela dilatação dos vasos cranianos. Do mesmo efeito vasodilatador sobre as artérias coronárias valem-se os pacientes acometidos de doença isquêmica do coração para aliviar as crises de angina do peito.

Quem primeiro descreveu os benefícios da nitroglicerina para os cardiopatas foi o médico inglês Lauder Brunton em 1867. Nos primórdios do uso da nitroglicerina, ela era usada tanto para o tratamento das dores da angina como para fazerem o diagnóstico diferencial entre a falsa e a verdadeira angina. Afirmavam que a nitroglicerina só era eficaz para a falsa angina, na verdadeira angina ela era considerada ineficaz.

Atualmente, embora os conceitos para angina e infarto tenham mudado, essa observação dos primórdios de eficácia ou não da nitroglicerina ainda é válida. Se um paciente apresentar dor anginosa que não ceder com nitroglicerina de imediato, suspeita-se da existência de um infarto. Nem sempre é fácil fazer o diagnóstico diferencial entre infarto e angina em bases puramente clínicas, somente se observando os sinais e sintomas do paciente, e o recurso de há mais de cem anos de observar se a dor passa ou não com o uso do medicamento ainda é usado pelos médicos de hoje.

Quase todos os medicamentos atualmente usados para dilatar as coronárias são derivados da nitroglicerina.

É curioso que, em 1890, quando Alfred Nobel, que vivia em Paris, aos 57 anos de idade, teve de seu médico a prescrição de Trinitrina, tenha de início recusado o tratamento. É dele a seguinte frase em carta escrita a seu assistente:

"Meus problemas cardíacos me manterão em Paris por mais alguns dias, até que meus médicos estejam de acordo quanto ao meu tratamento imediato. Não é uma ironia do destino que me tenham prescrito nitroglicerina para tomar? Aqui a chamam detrinitrina, para não assustarem os farmacêuticos e o público".

As experiências de Nobel com a nitroglicerina visavam primariamente a dar segurança ao seu uso. Fazendo experiências, Nobel descobriu que, misturando nitroglicerina com sílica e outros aditivos, formava-se uma massa moldável, que patenteou, em 1867, com o nome dedinamite. Isso deu origem às famosas bananas de dinamite até hoje em uso.

A sua descoberta e a exploração industrial do seu invento fizeram de Alfred Nobel um homem rico. Deixou sua fortuna, depois de sua morte, para a Fundação Nobel, patrocinadora do Prêmio Nobel em diversas ciências.

Por sua vez, Nobel pagou um alto preço no caminho dessas pesquisas. Em uma de suas experiências, aconteceu uma explosão que matou seu irmão Emil, dez anos mais moço.




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Infarto - O Ataque do Coração  Se dá quando o suprimento de sangue a uma parte do músculo cardíaco é reduzido ou cortado totalmente

Sexo Depois do Infarto  A maioria das pessoas que já teve um infarto sabe que pode voltar a ter uma vida sexual satisfatória como antes de ser atingida pela doença.

Dor no Peito, Angina e Infarto  Entre as dores mais temidas, estão as chamadas dores do coração e, dentre as quais, a angina do peito e o infarto são as que motivam maiores temores por serem as mais conhecidas e consideradas como as de maior probabilidade de serem fatais.

Coração e a Aspirina  Se pesarmos os prós e os contras quanto ao uso da aspirina ela pende a favor do seu uso. No entanto as chances de benefício variam de pessoa para pessoa, e isso você e o seu médico devem decidir.

Pericardites  Quando o pericárdio está inflamado ou infectado dizemos haver uma pericardite que pode ser um dos tipos de pericardite descritos

Síndrome do Coração Partido  Esta síndrome é de ocorrência muito rara, e acomete principalmente as mulheres de meia idade.

Eu Posso Fazer Exercícios?  Os benefícios da prática regular de exercícios físicos são amplamente conhecidos e a luta contra sedentarismo, comprovadamente, traz frutos positivos no que se refere à qualidade de vida e à longevidade

Os Exames para Cardiologia  Existem diversos exames para diagnosticarmos doenças do coração. Quais os exames que um paciente deve realizar é uma decisão que cabe ao médico que se baseará na história clínica e nos achados de exame clínico feitos no paciente.

Fatores de Risco Para Doenças Cardíacas  São condições que predispõem uma pessoa a maior risco de desenvolver doenças do coração e dos vasos. Existem diversos fatores de risco para doenças cardiovasculares, os quais podem ser divididos em imutáveis e mutáveis.

Estresse e Coração  Existem pesquisas que mostram que o estresse afeta o organismo causando alterações celulares de maneira a aumentar a incidência de doenças.


Autor

Título: Infarto do Miocárdio e Nitroglicerina

Link : | Data de Acesso : 06/12/2016 - Código do Conteúdo : Artigo 485 | Palavras-Chave : Infarto do Miocárdio e Nitroglicerina - Cardiologia - Nitroglicerina , infarto do miocárdio , Trinitrotolueno , TNT , Dinamite , Angina , Trinitrin, Trinitrina , falsa angina .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial :https://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2016 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.