Anticoncepção – Métodos Irreversíveis

Continuação de Anticoncepção e Contracepção…

MÉTODOS IRREVERSÍVEIS

Os métodos irreversíveis são os métodos cirúrgicos. Estes métodos devem ser considerados irreversíveis, mesmo que em um número pequeno de pacientes se consiga realizar tanto a recanalização tubária quanto do ducto deferente. Está reservado para casais com prole completa, que tenham contra-indicações a métodos reversíveis e que tenham risco importante caso ocorra nova gestação.

1 – ESTERILIZAÇÃO MASCULINA – Vasectomia

(LIGADURA DOS VASOS DEFERENTES)

Pode ser realizada com anestesia local. Tem um índice de falha em torno de 0,15%. Não existe alteração da função sexual após a vasectomia. Deve ser realizada análise do sêmen após o procedimento para confirmar a azoospermia ou pelo menos a ausência de espermatozóides móveis que ocorre em geral em torno de 12 semanas após o procedimento ou a ocorrência de 20 ejaculações.

Representação esquemática da vasectomia

2 – ESTERILIZAÇÃO FEMININA – Laqueadura Tubária

(LIGADURA DAS TROMPAS)

A esterilização feminina pode ser realizada por minilaparotomia (pequena incisão no abdômen) ou por videolaparoscopia. Ambos os procedimentos são realizados com anestesia geral ou peridural.

Tem um índice de falha de 0,4%.

Em nosso país existe legislação específica quanto aos procedimentos de vasectomia e laqueadura tubária.

Representação esquemática da laqueadura tubária