INFERTILIDADE - Introdução

A Reprodução Humana é uma das áreas com maior progresso dentro da medicina. Desde o nascimento do primeiro bebê de proveta no mundo, em 1978 (Louise Brown, nascida na Inglaterra, sob os cuidados dos doutores Edwards e Steptoe), um enorme progresso na investigação e diagnóstico da infertilidade, assim como no desenvolvimento de modernos procedimentos, tem ocorrido.

Define-se, habitualmente, um casal infértil como aquele que não obtém gestação após manter relações sexuais, regularmente, pelo período de um ano, sem o emprego de qualquer método de anticoncepção. Nessas condições, um casal jovem (menos de 30 anos), tem em torno de 20% de chance de conceber a cada mês. Isto significa que é essencial aguardar certo período para permitir que o casal engravide de forma natural. Entretanto, mesmo aguardando um tempo adequado, 10 a 15% dos casais em idade reprodutiva apresentam dificuldades de gestar.

Deste percentual, apenas 5 % não conseguirão engravidar definitivamente. Para aqueles casais que estão incluídos nesses 5%, nenhum progresso nesta área terá sido válido. Agora, se nos dermos conta que, com ou sem a ajuda de profissionais da área de reprodução, 95% dos casais engravidarão se assim o desejarem, parece-nos um fato bastante estimulante. Contrapondo-se ao conceito, antes tão cultivado pela população em geral, de que a incapacidade de um casal gerar filhos decorria sempre de dificuldades inerentes à parceira, as pesquisas mais recentes demonstraram que, em um percentual significativo dos casos, o problema reside no homem.

E, por isso, independente do problema estar no homem ou na mulher, o profissional deve atender este casal como uma unidade e, portanto, ambos estão com dificuldades de gestar ao invés de imputar a "culpa" apenas a um deles. O profissional deve ter a sensibilidade de que a infertilidade é uma situação delicada e difícil, geralmente acompanhada de profunda frustração, determinando algumas vezes até a separação do casal. Se o casal não engravida com os tratamentos convencionais, geralmente é encaminhado para tratamento especializado da infertilidade.

A infertilidade é um problema do casal, sendo infértil o casal que não consegue obter gravidez após um ano de relações sexuais regulares, sem o uso de qualquer método anticoncepcional. Geralmente, os casais que estão tentando engravidar acham que é muito fácil conceber. Cabe ao médico orientar que a chance de gestação por ciclo, entre casais férteis, é em torno de 20%. Ou seja, engravidar não é tão fácil quanto parece!

A incidência de infertilidade na população, em geral, é em torno de 10 a 15%. Entretanto, os casos de infertilidade são muito mais freqüentes quando a idade da mulher é mais avançada.



PREVALÊNCIA DE INFERTILIDADE

IDADE DA MULHER

1 entre 7 casais

30 - 34 anos

1 entre 5 casais

35 ­ 39 anos

1 entre 4 casais

40 ­ 44 anos

Tabela: Prevalência de Infertilidade em casais, conforme a idade da mulher (modificado
de ESRHE, 1996).

Geralmente, espera-se 12 meses de relações regulares, sem o uso de método anticoncepcional, para se iniciar a investigação do casal. Após este tempo, 90% dos casais normais terão engravidado. Como a idade da mulher é o fator prognóstico mais importante para o sucesso dos tratamentos em infertilidade, em mulheres com mais de 35 anos, podemos iniciar a investigação após 6 meses de tentativas.

Definições e Conceitos

Infertilidade é a incapacidade de o casal engravidar após um ano de relacionamento sexual sem uso de contracepção.

A infertilidade é dita:
 

primária quando o casal nunca concebeu e
secundária quando já houve concepção.
pelas alterações da flora intestinal.
O termo esterilidade refere-se ao homem ou a mulher e não ao casal - é a incapacidade de concepção por métodos naturais (ex. agenesia uterina (ausência do útero), azoospermia (ausência de espermatozóides no ejaculado)).
Reprodução Assistida é o termo utilizado para o conjunto das técnicas utilizadas no tratamento da infertilidade conjugal que envolve a manipulação em laboratório de, pelo menos, um dos gametas: espermatozóides ou óvulos.

As técnicas amplamente utilizadas são:
 

inseminação intra-uterina (IIU),
fertilização in vitro (FIV) e a
injeção intracitoplasmática de espermatozóides (ICSI).

Incidência/Prevalência

A prevalência de infertilidade parece não diferir através dos tempos; entretanto, atualmente, mais casais procuram tratamento. Aproximadamente, um em cada sete casais em países industrializados consulta por infertilidade. Taxas de infertilidade primária variam em diferentes países, variando de 10% na África a aproximadamente 6% nos Estados Unidos e Europa. Não existe avaliação precisa quanto à prevalência de infertilidade secundária.


Publicidade/Advertisement

Investigação

Sempre que o casal, ou um dos cônjuges, procura o médico querendo saber de suas possibilidades de gestação, estará indicada uma investigação inicial, devendo-se fazer uma triagem inicial com a história clínica. Quando na história clínica houver alguma causa óbvia de infertilidade (ex.: ciclos menstruais totalmente irregulares, ausência de menstruação, história de doenças sexualmente transmissíveis que possam ter comprometido as trompas, cirurgias prévias abdominais ou nos testículos, etc.), justifica-se fazer uma investigação mais detalhada e mais precoce.

A maioria dos casais não terá indicações médicas para investigação mais detalhada antes de um ano de tentativas, sendo apenas orientados a terem relações sexuais regulares, e voltarem à consulta caso não ocorra gestação em 12 meses.

Na primeira consulta, o médico aproveita para orientar medidas que melhorem as chances de uma gestação saudável:
Imunidade para rubéola?

Se a mulher não apresentar anticorpos para rubéola, ela deverá ser vacinada.
Tabagismo?

Piora a fertilidade, tanto no homem quanto na mulher, bem como o prognóstico da gestação.
Obesidade?

Mulheres com índice de massa corporal (IMC) acima de 30 devem perder peso (Índice de massa corporal = peso/ altura2).
A mulher está usando ácido fólico (suplemento alimentar)?

Esta medicação diminui a incidência de fetos com defeitos do tubo neural se usada antes da concepção até a 12ª semana de gestação.
Bebidas alcoólicas:

pioram a fertilidade tanto no homem quanto na mulher, bem como o prognóstico da gestação. Seu uso deve ser suspenso durante a gestação.
Drogas ilícitas?

Uso deve ser suspenso, pois interfere na saúde e também na fertilidade.




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Infertilidade  O casal infértil é aquele que, com mais de um ano de relações sexuais desprotegidas (sem uso de método anticoncepcional) e freqüentes, não conseguiu engravidar.

Infertilidade: Tratamento  Os casais devem ser esclarecidos quanto as opções e as chances de sucesso de cada tipo de tratamento para que participem ativamente das decisões.

Infertilidade: Perguntas Mais Frequentes  Apesar dos testes e dos conhecimentos atuais, cerca de 10% dos casais que têm sido investigados intensamente não têm causa demonstrável de infertilidade.

Investigação de Infertilidade  Infertilidade é um problema que afeta o casal; portanto, a investigação deve ser realizada concomitantemente no homem e na mulher.

Fator Masculino de Infertilidade Conjugal  Fatores que alteram a fertilidade masculina

Fertilidade & Infertilidade - Anatomia  Os princípios básicos de uma reprodução bem sucedida estão no desenvolvimento dos gametas (óvulos e espermatozóides), na capacidade deles se encontrarem, permitindo assim, que ocorra a fertilização.

Fertilização In Vitro  A fertilização in vitro, muitas vezes denominada "Bebê de Proveta", deve-se ao fato da fecundação do óvulo pelo espermatozóide ocorrer fora do corpo, em laboratório, ou seja, in vitro.

Fator Tubo - Peritoneal  Alterações anatômicas das trompas de Falópio são encontradas em 20% dos casais inférteis. Doença inflamatória pélvica (DIP), apendicite aguda perfurada, aborto séptico, cirurgia tubária prévia são responsáveis pela infertilidade tubária.

Varicocele  A varicocele está presente em 15% da população geral (adultos e adolescentes) e em 35% dos homens com infertilidade.

Sexualidade do Casal Infértil  Chega um momento da vida de homens e mulheres que o casal deseja ter um filho. Mas o que fazer quando eles não conseguem?


Autor

Título: Infertilidade - Introdução

Link : | Data de Acesso : 06/12/2016 - Código do Conteúdo : Artigo 658 | Palavras-Chave : Infertilidade - Introdução - Ginecologia e Obstetrícia - Reprodução Humana, bebê de proveta, Louise Brown, ácido fólico , relações sexuais, casal infértil, gestação, gravidez, anticoncepção , engravidar, anticoncepcional, contraceptivo, inseminação intra-uterina , infertilidade secundária, reprodução assistida, Imunidade para rubéola , injeção intracitoplasmática de espermatozóides, ICSI, Tabagismo, Obesidade .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial :https://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2016 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.