INVESTIGAÇÃO DE INFERTILIDADE

Infertilidade é um problema que afeta o casal; portanto, a investigação deve ser realizada concomitantemente no homem e na mulher. Em aproximadamente 40% das vezes a causa da infertilidade estará exclusivamente no homem, em 40% exclusivamente na mulher, em 10% das vezes ambos terão diminuição da fertilidade.

Em 10% dos casais toda a investigação será normal, são os casos de infertilidade sem causa aparente. Espera-se que, com o passar dos anos, o entendimento das causas responsáveis pela infertilidade aumente e, com isso, diminua a proporção de casais nos quais não se consegue identificar a causa da ausência de gestação.A investigação dos casais inférteis deve resumir-se aos exames que, quando alterados, diagnosticam a causa da infertilidade.

Investigação do casal infértil

Fator masculino: Espermograma, recomenda-se 2 amostras, com intervalo de 3 meses.Tabela: Parâmetros de referência do espermograma, segundo a Organização Mundial da Saúde (Manual de Laboratório da OMS, 1992).

Volume
2ml
PH
7,2-7,8
Concentração
20 milhões por ml
Motilidade
50% progressivos (tipos A + B)
progressivos rápidos (tipo A)
25%
Morfologia
50% normais
Vitalidade
50% vivos
Leucócitos
1 milhão/ml

Fig. 3: Tabela Parâmetros de referência do espermograma, segundo a

Organização Mundial da Saúde (Manual de Laboratório da OMS, 1992).

Definir infertilidade de causa masculina pelo número e motilidade dos espermatozóides é mais difícil do que a simples interpretação de valores normais ou anormais da tabela acima.

É verdade que homens cujo espermograma apresente espermatozóides em número muito baixo (Padrões de normalidade do sêmen devem ser analisados para cada casal. A idade da mulher, a duração da infertilidade e a história de gestação prévia são importantes fatores para casais cujos homens têm espermograma com parâmetros abaixo do normal.

Sempre que a análise do sêmen estiver alterada, o paciente deverá ser encaminhado a um urologista para investigação mais detalhada.

Fator ovulatório: Na presença de ciclos menstruais regulares (menstruações com intervalos de 25 a 35 dias), provavelmente ovulatórios, a dosagem de progesterona na segunda fase, é uma comprovação indireta de ovulação. Em pacientes com ciclos regulares, sem galactorréia (saída de secreção tipo leite pelos mamilos) e/ou sintomas relacionados à doença da glândula tireóide, outros exames hormonais são dispensáveis.

Em conclusão, mulheres com ciclos mais freqüentemente irregulares devem investigar porque não ovulam. Sem ovulação não pode haver gestação. A investigação, geralmente, é realizada com dosagens hormonais em dias específicos do ciclo menstrual.

Fator Tubário/Peritoneal: A mulher deve ter algum exame comprovando a permeabilidade tubária. A histerossalpingografia (exame radiológico das trompas) é o exame de escolha para casais de baixo risco (sem história de doenças inflamatórias da pelve e de doenças sexualmente transmissíveis (DST)). Quando for necessária a avaliação do abdômen e da pelve (por dentro), a videolaparoscopia pode ser indicada. Os exames para verificação das condições das trompas podem algumas vezes propiciar a contaminação das trompas e da pelve por microorganismos, que estão na vagina e no colo do útero. Por isso, geralmente, são solicitados exames para se avaliar se a mulher está contaminada com bactérias tipo Chlamydia trachomatis, ou se se recomenda o uso de antibióticos antes da realização desses exames.

Se o espermograma estiver tão alterado que a gestação natural seja muito improvável, pode-se prescindir da avaliação tubária e peritoneal. Evita-se, desta forma, que a mulher seja submetida a exames invasivos, que não modificarão o tratamento do casal.Quando a investigação dos fatores masculino, ovulatório e tubário-peritoneal for normal, o diagnóstico é de Infertilidade sem causa aparente.

Uma série de outros exames diagnósticos são propostos para a investigação do casal infértil; entretanto, eles não devem ser realizados de rotina (ocasionalmente em centros de pesquisa).




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Infertilidade - Introdução  Define-se, habitualmente, um casal infértil como aquele que não obtém gestação após manter relações sexuais, regularmente, pelo período de um ano, sem o emprego de qualquer método de anticoncepção.

Infertilidade  O casal infértil é aquele que, com mais de um ano de relações sexuais desprotegidas (sem uso de método anticoncepcional) e freqüentes, não conseguiu engravidar.

Infertilidade: Tratamento  Os casais devem ser esclarecidos quanto as opções e as chances de sucesso de cada tipo de tratamento para que participem ativamente das decisões.

Infertilidade: Perguntas Mais Frequentes  Apesar dos testes e dos conhecimentos atuais, cerca de 10% dos casais que têm sido investigados intensamente não têm causa demonstrável de infertilidade.

Fator Masculino de Infertilidade Conjugal  Fatores que alteram a fertilidade masculina

Fertilidade & Infertilidade - Anatomia  Os princípios básicos de uma reprodução bem sucedida estão no desenvolvimento dos gametas (óvulos e espermatozóides), na capacidade deles se encontrarem, permitindo assim, que ocorra a fertilização.

Fertilização In Vitro  A fertilização in vitro, muitas vezes denominada "Bebê de Proveta", deve-se ao fato da fecundação do óvulo pelo espermatozóide ocorrer fora do corpo, em laboratório, ou seja, in vitro.

Fator Tubo - Peritoneal  Alterações anatômicas das trompas de Falópio são encontradas em 20% dos casais inférteis. Doença inflamatória pélvica (DIP), apendicite aguda perfurada, aborto séptico, cirurgia tubária prévia são responsáveis pela infertilidade tubária.

Varicocele  A varicocele está presente em 15% da população geral (adultos e adolescentes) e em 35% dos homens com infertilidade.

Inseminação Intrauterina  É a técnica mais simples de reprodução assistida. Nessa técnica, se manipulam em laboratório apenas os espermatozóides.


Autor

Título: Investigação de Infertilidade

Link : | Data de Acesso : 03/12/2016 - Código do Conteúdo : Artigo 661 | Palavras-Chave : Investigação de Infertilidade - Ginecologia e Obstetrícia - casais inférteis, espermograma , motilidade dos espermatozóides, sêmen , gestação, gravidez, urologista, doenças sexualmente transmissíveis, DST , galactorréia, glândula tireóide, ovulação, bactéria Chlamydia trachomatis , ciclo menstrual, Fator Tubário-Peritoneal, doenças inflamatórias da pelve .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial :https://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2016 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.