Efeitos da maconha sobre a saúde | ABC da Saúde

Efeitos da maconha sobre a saúde

Em vários países vem sendo debatida a possibilidade de legalizar o uso de maconha, tanto para fins terapêuticos como recreacionais. Um dos principais eixos desse debate está relacionado aos potenciais efeitos prejudiciais da droga à saúde. Muitos estudos já foram realizados sobre este assunto, porém, devido à diversidade de abordagens e os tipos diferentes de ensaios desenvolvidos, apresentaram resultados conflitantes.

Para sistematizar e ponderar os principais resultados existentes, um grupo de pesquisadores do Instituto Nacional sobre o Abuso de Drogas dos Estados Unidos produziu uma nova revisão de dados da literatura científica sobre os efeitos do uso da maconha para a saúde, que foi publicada recentemente na revista médicaThe New England Journal of Medicine.

O estudo aponta as evidências de vários efeitos adversos do uso da maconha sobre a saúde. Em torno de 9% das pessoas que experimentam a droga tornam-se adictas (ficam viciadas), e, se são consideradas somente pessoas com menos de 18 anos, esta proporção sobe para 17%.

Se o primeiro contato com a droga ocorre no período da pré-adolescência e adolescência, aumenta a chance de adição (vício). Além disso, a droga produz síndrome de abstinência, o que dificulta a pessoa parar de usá-la, e seu uso está associado a um maior risco de uso de outras drogas.

O uso da droga na adolescência traz um agravante. O cérebro humano se desenvolve desde o período antes do nascimento até os 21 anos de idade. Neste período de desenvolvimento o cérebro é muito mais vulnerável a agressores ambientais (como a maconha), e o déficit de desenvolvimento leva a efeitos permanentes. Adultos que fumavam maconha regularmente na adolescência apresentaram deficiências relacionadas com atenção, alerta, aprendizado e memória.

Outro aspecto abordado diz respeito à piora na capacidade de dirigir automóvel nos usuários de maconha. Este efeito é observado tanto de forma imediata após o uso, como também a longo prazo.

Os pesquisadores salientam que a noção que se tinha da maconha como uma droga inofensiva não combina com os crescentes efeitos adversos apresentados pelos usuários, e sugerem que esta incongruência pode ser devido ao aumento verificado nos últimos anos no conteúdo do principio ativo da maconha, o tetrahidrocanabinol, que pulou de 3% nos anos 80 para 12% em 2012.

Autor:Dr. Gilberto Sanvitto - ABC da Saúde

Referência Bibliográfica

  • -The New England Journal of Medicine - 2014;370:2219-27. DOI: 10.1056/NEJMra1402309

RECOMENDADO PARA VOCÊ

Transtornos Mentais na Adolescência
Maconha - Influência na Sexualidade
Transtornos Psiquiátricos Relacionados ao Uso de Substâncias Psicoativas
Fator Masculino de Infertilidade Conjugal - canabinóis (maconha e haxixe)
Esquizofrenia e Outros Transtornos Psicóticos
Transtorno de Ansiedade Generalizada
Alcoolismo

Publicado em :25/06/2014 07:51




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement