Treinando a gordura: como a atividade física pode tornar o tecido adiposo um aliado da saúde

Treinando a gordura: como a atividade física pode tornar o tecido adiposo um aliado da saúde

As noções de que a obesidade é prejudicial à saúde (é considerada uma doença pela Associação Americana de Medicina) e de que o exercício físico é benéfico já são bem conhecidas.

Estudos epidemiológicos recentes demonstram que a atividade física diminui o risco de diversas doenças e está associado a uma redução do tempo em que a pessoa fica doente nos anos de sua velhice (este conceito é conhecido como compressão da morbidade).

Novidades científicas sobre os benefícios da atividade física têm surgido regularmente. A última vem de Chicago, onde se realiza o 73º Encontro de Sessões Científicas da Associação Americana de Diabetes. Dois estudos utilizando camundongos e humanos demonstram que o exercício físico pode modificar o tecido adiposo, tornando-o metabolicamente mais eficiente, quando comparado ao tecido adiposo de um indivíduo sedentário, o que leva a um melhora na condição funcional de outros tecidos.

O treinamento por um determinado período de tempo, tanto de camundongos quanto de humanos, transformou o tecido adiposo subcutâneo (chamado de tecido adiposo branco) em tecido adiposo marrom. A diferença não é só na cor. O tecido adiposo branco é um estocador de energia ao passo que o marrom é metabolicamente mais ativo, o que aumenta o gasto energético e diminui a massa total.

A ligação entre o exercício e esta transformação do tecido adiposo é o músculo. O exercício induz no músculo a formação de uma proteína que é liberada no sangue e atua no tecido adiposo branco transformando-o em marrom. A atividade física regular levaria a um aumento constante da proteína Irisina no sangue, mantendo parte do tecido adiposo na forma marrom, que é mais eficiente no gasto de energia.

Estes estudos sugerem também uma associação entre esta transformação do tecido adiposo com uma melhora em outros parâmetros metabólicos como a captação de glicose e sensibilidade à insulina. Mesmo que o exercício não produza uma perda de peso imediata e visível, ele está "treinando" o seu tecido adiposo e tornando-o mais ativo, o que traz benefícios ao metabolismo do organismo e à saúde como um todo.

Há mais de dois mil anos Hipócrates, sem conhecer a biologia molecular ou a Irisina, disse: "caminhar é o melhor remédio". Hoje entendemos um pouco melhor o porquê.

Atividade física produz resultados garantidos sobre a saúde. Você pode começar já, mesmo com dois mil anos de atraso.

Autor:Dr. Gilberto Sanvitto - ABC da Saúde

Referência Bibliográfica

  • - Archives of Internal Medicine. 2012;172(17):1333-1340.
  • - Published online August 27, 2012. doi:10.1001/archinternmed.2012.3400.
  • - Science 336, 42 (2012); DOI: 10.1126/science.1221688.
  • - New England Journal of Medicine 366;16 -1544-45 april 19, 2012
  • - 73rd Scientific Sessions- American Diabetes Association's, June, 21-25 Chicago.

RECOMENDADO PARA VOCÊ

ENTENDENDO MELHOR AS GORDURAS: BENEFÍCIOS E DANOS À SAÚDE
EU POSSO FAZER EXERCÍCIOS?
EXERCÍCIO E PREVENÇÃO DE DOENÇAS




Publicado em :25/06/2013 21:14




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement