Endodontia (Tratamento de canal) de dentes jovens

Basicamente, o dente divide-se em duas partes: parte coronária, onde se aloja a polpa coronária e parte radicular, onde se aloja a polpa radicular (Figura 1).

Apesar da polpa (popularmente chamada de nervo) ser didaticamente dividida, na verdade ela é um tecido conjuntivo único e sua condição de saúde pode alterar-se devido a inúmeros fatores (Ex: cárie), sofrendo um processo de inflamação e ou mesmo infecção. Quando se fala de dentes permanentes, estes processos relatados podem acontecer em dentes jovens (crianças e adolescentes) e dentes adultos.

A causa mais comum que envolve os dentes jovens, sem dúvida nenhuma, é o trauma, sendo a avulsão dental (quando o dente sai da boca) considerada a mais perigosa para a criança e ou adolescente (Figura 2). Nestes casos, muitos fatores influenciam a permanência do dente e, entre eles, os mais importantes são:

Tempo que o dente ficou fora da boca: recomenda-se que este tempo não seja superior a 30 minutos;
Meio de transporte do dente, sendo o leite, água, saliva e soro os mais recomendados no Brasil. O dente jamais deve ser transportado a seco e ou ser tocado na raiz.
Um atendimento de urgência e imediato está diretamente ligado a permanência do dente na boca.

Seja qual for o trauma envolvido, o tratamento sequencial que é feito no consultório do dentista é imprescindível, pois sequelas podem aparecer com o passar do tempo (ex: reabsorções, quando o dente vai amolecendo). Na maioria das vezes, este tratamento é multidisciplinar, ou seja, requer a atuação de várias especialidades da Odontologia e, dentre elas, destacam-se a Endodontia, Periodontia (gengiva), Prótese, Dentística (restaurações), Cirurgia e Ortodontia (aparelhos).

Normalmente, a primeira etapa do tratamento sequencial de traumas é a Endodontia. O tratamento de canal convencional visa a remoção (limpeza) do conteúdo total do canal do dente, seja de uma polpa inflamada (neste caso chamado de dente vivo) ou de uma polpa infeccionada (dente morto) e o seu posterior fechamento, seguido pela restauração da parte coronária do dente. Esta mesma sequencia é obedecida quando o tratamento de canal de dentes jovens é executado; entretanto, existem algumas diferenças na conduta, pois dentes jovens nascem com formação radicular incompleta, ou seja, o canal radicular é extremamente amplo e a ponta da raiz é aberta (Figura 3).

Normalmente, os primeiros permanentes a nascerem surgem por volta dos 5 a 6 anos e os últimos por volta dos 12 a 14 anos, com exceção dos terceiros molares (sisos). Após o nascimento, a raiz completa naturalmente sua formação em 2 a 3 anos, exceto quando a polpa sofre qualquer tipo de dano e, nestes casos, o tratamento de canal é então indicado.

A forma diferente de se tratar o canal de dentes jovens baseia-se na falta de um limite para a limpeza e fechamento do canal, uma vez que a ponta da raiz é aberta. Este é o real motivo pelo qual, um tratamento de canal em dentes jovens normalmente demora uma média de 6 meses, pois um medicamento (Hidróxido de cálcio) deve ser trocado com relativa frequência, para induzir a formação do fechamento radicular, em especial da ponta, para que não aconteça extravasamento do material obturador (quando passa material da ponta da raiz e invade o osso).

Com o avanço dos materiais utilizados na odontologia, houve uma evolução neste tipo de tratamento, pois um novo material (MTA) foi introduzido no início desta década, diminuindo o tempo de tratamento dos dentes jovens para uma ou duas sessões, com intervalo entre as consultas não maior do que 15 dias. Este material tem como única desvantagem o seu custo, que é bem maior do que a terapia com o medicamento convencional.

O tempo de vida de um dente jovem com tratamento de canal (Figura 4) normalmente é longo, e depende das funções desenvolvidas pelo dente em questão, assim como outros problemas associados ou não, mas as recomendações são as mesmas para qualquer tipo de tratamento de canal realizado (Figura 5), ou seja, restaurar o dente de forma adequada.

Divisões coroa e raiz e localização da polpa coronária e radicular.
Figura 1- Divisões coroa e raiz e localização da polpa coronária e radicular.

Alvéolo (Local do dente no osso) sem o dente
Figura 2- a) Alvéolo (Local do dente no osso) sem o dente e b) Dente reimplantado (colocado de volta no seu lugar).

Cortesia: Ferreira et al. Dental avulsion, from dental replantation to dental implant: a case report with a 20-year follow-up. RBTD, v1, n1, 13- 9.


pontas das raízes abertas de dentes jovens.
Figura 3- pontas das raízes abertas de dentes jovens.

Tratamento de canal de dentes jovens.
Figura 4- Tratamento de canal de dentes jovens.

Tratamento de canal de dente adulto.
Figura 5- Tratamento de canal de dente adulto.




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Tratamento de Canal Dentario  É toda atividade exercida no interior dos dentes ou raízes isoladas, que busca manter estas importantes estruturas hígidas no sentido de desenvolverem suas atividades de função e estética na cavidade oral.

Retratamento de Canal do Dente  Retratamento é uma tentativa de correção de um primeiro trabalho que apresentou falha em alguma fase da terapia endodontia anterior. No retratamento o profissional que realiza esta tarefa, busca encontrar a (s) falha (s) e através da correção devolver ao paciente a saúde.

Crenças e Verdades nos Tratamentos de Canais dos Dentes  A técnica de tratamento de canal é um procedimento cirúrgico odontológico que remove os conteúdos do interior dos canais, normalmente nos casos de polpa viva (nervo) são tecidos semelhantes a carne, logo são estruturas de pouca resistência física.

A Importância das Restaurações Após o Término dos Tratamentos de Canal  Um dos exemplos desta afirmação é devido às situações das contaminações bacterianas existentes no meio bucal pela sua condição especial de se tratar de um local úmido e com milhares de espécies de bactérias.

Canal Dentário Perfurado  Perfuração é uma situação patológica com prognóstico reservado na maioria dos casos para os dentes ou raízes portadores. As perfurações podem ser de causas naturais, ou seja, reabsorções externas com as mais variadas causas determinantes como traumas, ações químicas, forças, inclusive cárie.

Laser na Odontologia  A laserterapia é bastante eficaz no tratamento da hipersensibilidade dental que está associada a uma dor aguda, súbita e de curta duração










Autor

Título: Endodontia (Tratamento de Canal) de Dentes Jovens

Link : | Data de Acesso : 06/12/2016 - Código do Conteúdo : Artigo 702 | Palavras-Chave : Endodontia (Tratamento de Canal) de Dentes Jovens - Odontologia -





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial :https://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2016 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.