Dificuldades e Transtornos de Aprendizagem na infância e adolescência

Os problemas de aprendizagem afetam negativamente a vida escolar, familiar, social e psíquica de muitas crianças e adolescentes, causando sofrimento e perda de autoestima. Sofrem, também, os pais e cuidadores, sentindo-se impotentes frente às dificuldades do filho.

Entraves no processo de aprendizagem possuem múltiplas causas, incluindo metodologia de ensino inadequada às necessidades da criança, fatores de ordem emocional e/ou dificuldades de aprendizagem secundárias a outros quadros diagnósticos. Entre estes quadros que podem levar a dificuldades de aprendizagem, estão algumas síndromes genéticas, como Síndrome de Down e Síndrome do X Frágil, entre outras, transtornos do espectro autista, transtornos psiquiátricos, deficiência intelectual e patologias neurológicas diversas, inclusive Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

Já os Transtornos de Aprendizagem são específicos em leitura (dislexia), escrita (disgrafia e disortografia) ou matemática (discalculia), e possuem base genética, ocorrendo em indivíduos que apresentam inteligência normal ou superior e rendimento escolar significativamente abaixo do esperado para sua idade, escolaridade e capacidade intelectual.           

Uma avaliação psicopedagógica cautelosa é o primeiro passo para diagnosticar a causa do problema de aprendizagem e definir o plano de intervenção para tratamento clínico. Além de avaliar e intervir clinicamente, o psicopedagogo trabalha em conjunto com outros profissionais que atendem a criança, como médicos, psicólogos ou fonoaudiólogos, conforme o caso. Também atua em parceria com a escola, de modo à melhor adequar o ensino às necessidades do paciente, levando em conta suas dificuldades e, principalmente, suas potencialidades.  

Dúvidas frequentes: 

Quando é necessário levar meu filho ao psicopedagogo?

Normalmente, as crianças ou adolescentes são encaminhadas ao psicopedagogo quando apresentam dificuldades de aprendizagem, tanto na etapa de alfabetização como entraves no desenvolvimento das habilidades de leitura, escrita e matemática. No caso de crianças com alterações neurológicas, síndromes genéticas, transtornos psiquiátricos ou outras patologias que interferem nas aprendizagens, o encaminhamento ao psicopedagogo deve ser precoce, de modo a minimizar o impacto destas patologias na vida escolar da criança. 

Há como prevenir os problemas de aprendizagem?

Sim, o trabalho psicopedagógico preventivo com crianças em idade pré-escolar, de modo a prepará-las para o processo de alfabetização, pode evitar ou minimizar futuros problemas de aprendizagem. Com crianças e adolescentes em idade escolar, desenvolve potencialidades e otimiza as aprendizagens.  

Como se dá o trabalho psicopedagógico clínico?

Inicialmente, é realizada a avaliação psicopedagógica, necessária para o psicopedagogo detectar os problemas de aprendizagem apresentados pelo paciente, bem como identificar suas causas, considerando os múltiplos fatores envolvidos no processo de aprendizagem. Elabora-se, então, o laudo psicopedagógico que, quando necessário e autorizado pelos pais, pode ser disponibilizado à escola. Se confirmada a hipótese de dificuldade ou transtorno de aprendizagem, um plano de trabalho para tratamento psicopedagógico é elaborado e discutido com os pais. 

O psicopedagogo irá à escola onde meu filho estuda? Por quê?

Sim, inicialmente o psicopedagogo entrará em contato com a equipe pedagógica da escola para coletar informações sobre o desempenho escolar da criança/adolescente que ajudarão no processo de avaliação. Durante o tratamento, o psicopedagogo fará a mediação com a escola, de modo a adaptar o currículo escolar às necessidades do paciente. 

O psicopedagogo fará contato com os outros profissionais que atendem meu filho?

Sim, o psicopedagogo deve trabalhar em rede com os diversos profissionais que atendem a criança/adolescente, fazendo contato com pediatras, neurologistas, geneticistas, psiquiatras, psicólogos, fonoaudiólogos, professores particulares e outros profissionais envolvidos com o paciente. A psicopedagogia é interdisciplinar por natureza.   

Como evolui uma criança ou adolescente submetido a tratamento?

A evolução do paciente, bem como o tempo de tratamento, depende da causa e do tipo de problema diagnosticado no processo de avaliação. Em geral, as dificuldades de aprendizagem tem um prognóstico melhor do que os transtornos, que exigem uma intervenção mais intensiva e por mais tempo. Seja qual for o caso, a intervenção psicopedagógica clínica visa à reabilitação do paciente, de modo que ele atinja o mais alto nível funcional possível, fazendo uso de suas potencialidades para minimizar o impacto de suas dificuldades e, desta forma, melhorar seu desempenho escolar.

Referências Bibliográficas: 

BOSSA, Nádia A.A Psicopedagogia no Brasil: contribuições a partir da prática.2ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

ROTTA, N. T.; OHLWEILER, L; RIESGO, R. S.Transtornos da aprendizagem: abordagem neurobiológica e multidisciplinar.Porto Alegre: Artmed, 2006.

WEISS, Maria L. L.Psicopedagogia Clínica – uma visão diagnóstica dos problemas de aprendizagem escolar.13ª ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Transtornos Psiquiátricos na Infância  O pensar, a capacidade de utilizar uma linguagem escrita, falada ou ainda de experimentar sentimentos não nascem com a criança, estando profundamente relacionados a seu desenvolvimento.

Transtornos Mentais na Adolescência  A Adolescência é um período de intensas atividades e transformações na vida mental do indivíduo, o que, por si só, leva a diversas manifestações de comportamento que podem ser interpretadas por leigos como sendo doença.

Índice de Apgar  Muito mito e expectativa surgem em torno do Apgar (a nota) que a criança recebeu. Os pais ficam nervosos, preocupados que uma nota baixa possa representar problemas futuros para sua criança.

Dislexia  É uma dificuldade primária do aprendizado abrangendo: leitura, escrita, e soletração ou uma combinação de duas ou três destas dificuldades.

Autismo  É uma desordem na qual uma criança jovem não pode desenvolver relações sociais normais, se comporta de modo compulsivo e ritualista, e geralmente não desenvolve inteligência normal.

Síndrome de Down  É importante frisar que um ambiente amoroso e estimulante, intervenção precoce e esforços integrados de educação irão sempre influenciar positivamente o desenvolvimento desta criança.

Retardo Mental  Os efeitos do retardo mental variam consideravelmente de pessoa para pessoa, assim como as habilidades individuais variam entre as pessoas que não tem retardo mental.

Aconselhamento Genético  Aconselhamento Genético (AG) é um processo de comunicação sobre problemas humanos associados com a ocorrência, ou risco, de recorrência de uma doença genética na família

Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade  É um problema mais comumente visto em crianças e se baseia nos sintomas de desatenção (pessoa muito distraída) e hiperatividade (pessoa muito ativa, por vezes agitada, bem além do comum).

Gestação Após os 35 Anos  Atualmente, grande parte dos casais optam por ter filhos após os 35 anos. Este período coincide com o declínio da fertilidade na mulher.


Autor

Título: Dificuldades e Transtornos de Aprendizagem na Infância e Adolescência

Link : | Data de Acesso : 05/12/2016 - Código do Conteúdo : Artigo 811 | Palavras-Chave : Dificuldades e Transtornos de Aprendizagem na Infância e Adolescência - Psicopedagogia - Dificuldade de aprendizagem , Transtorno de aprendizagem , psicopedagogia , ensino , escola , criança , adolescente .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial :https://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2016 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.