MORTE SÚBITA DO LACTENTE

Termos alternativos:

Síndrome da Morte Súbita do Recém-nascido (SMSL); Morte Súbita Infantil; Morte no Berço

O que é?

A morte súbita do lactente é definida como a morte inesperada de uma criança com menos de um ano de idade, que permanece inexplicável, mesmo após investigação exaustiva que inclua autopsia e exame do cenário da morte.

É acontecimento raro?

Nos Estados Unidos, a ocorrência gira em torno de 1 caso para cada 1000 recém-nascidos vivos. Em 1997 e 1998 em Porto Alegre, RS, Brasil, dos 335 óbitos ocorridos em lactentes, 21 foram incluídos nos critérios que definem a SMSL, mas nenhum deles teve essa causa registrada em sua declaração de óbito. A prevalência de SMSL foi estimada em 6,3 por cento do total de óbitos, sendo que o coeficiente de mortalidade específico por essa causa foi de 4,5 óbitos em 10.000 nascidos vivos. ( J. pediatr. (Rio J.);77(1):29-34, jan.-fev. 2001.)


Publicidade/Advertisement

Qual a idade de maior perigo?

O número de mortes alcança seu ápice entre as idades de dois a quatro meses de vida, sendo que as idades de maior incidência variam de poucas semanas de vida até seis meses de idade.

Horário de maior incidência.

Os acontecimentos funestos ocorrem durante o sono do cuidador e da criança, ou seja, acontece entre meia-noite e oito horas da manhã.

Chama atenção a coincidência de dois fatos: idade da criança e ocorrência durante o sono.

Fatores de risco.

Baixo peso de nascimento
Idade materna – 13 a 19 anos
Mãe usuária de drogas
Mãe tabagista
História prévia de morte súbita infantil na família.
Posição de dormir
Alimentação com mamadeira
Aquecimento excessivo da criança
Baixa escolaridade materna

Fatores de risco que se podem modificar.

Posição de dormir
Alimentação com mamadeira
Mãe tabagista
Mãe usuária de drogas
Aquecimento excessivo da criança
Baixa escolaridade materna.

Fatores de risco mais importantes

Exposição ao tabaco.

Ação sobre o sistema nervoso autônomo do feto, sobre o desenvolvimento e funcionamento pulmonar e combinação deles com infecções virais. b) Hábitos de dormir.

Dentre os hábitos de sono, a posição ventral (de barriga para baixo), posição prona, é considerada o principal fator de risco para a SMSL. A posição de dormir de barriga para baixo contribui para a morte súbita (uma das teorias) com o tornar a respirar o ar exalado. A avaliação da influência da posição de dormir em relação ao mecanismo do despertar demonstra que a posição de dormir de barriga para baixo reduz o reflexo de despertar dos lactentes sadios, tanto nascidos a termo como prematuros, a redução se faz notar com mais intensidade entre o segundo e terceiro meses de vida, época de maior incidência da síndrome de morte súbita do lactente (SMSL).

O coleito, ou seja, o hábito de um adulto, geralmente a mãe, dormir com a criança na cama constitui outro fator de risco para a criança, ainda mais, quando associado ao tabagismo dos pais ou ao uso de drogas. A má prática materna de cobrir a cabeça da criança durante o sono e, eventualmente agravada, pela posição prona de dormir, acresce mais um fator de risco. A cama compartilhada agrava o risco de superaquecimento da criança devido ao calor proveniente do corpo dos pais sob as cobertas, podendo também favorecer a ocorrência de asfixia. De outro lado, o hábito de compartilhar o quarto dos pais, tem se mostrado um fator aparentemente protetor.

A temperatura corporal desempenha importante papel no desencadeamento da SMSL. Os mecanismos do sono e dos próprios comandos respiratórios e de despertar dos lactentes são influenciados pelas temperaturas mais altas. É reconhecida a dificuldade da criança pequena acordar em ambientes com temperatura acima de 28º C, até mesmo as apneias dos prematuros se acentuam com as temperaturas mais elevadas. Assim sendo, o uso de roupas que facilitam o superaquecimento tornam-se fatores de risco para a SMSL. Medidas que visam impedir o deslizar da criança para baixo das cobertas acabam se tornando medidas protetoras. A American Academy of Pediatrics (AAP) recomenda que os lençóis e cobertores sejam presos sob o colchão abaixo do tórax da criança. Entre outros, também são citados como fatores de proteção o aleitamento materno e o uso de chupeta.




Publicidade/Advertisement

Publicidade/Advertisement


RECOMENDADO PARA VOCÊ

Morte Súbita  As mortes súbitas, na grande maioria dos casos, são provocadas por arritmias do ciclo cardíaco.

Sufocamento e Engasgos  As crianças, especialmente aquelas com menos de três anos de idade, são particularmente suscetíveis à obstrução e à morte devido ao pequeno calibre das suas vias aéreas, sua relativa pouca experiência com a mastigação e à tendência natural de colocar quaisquer objetos na boca.

Amamentação  O esforço que o bebê faz para retirar o leite do seio de mãe estimula e trabalha toda a musculatura da boca e da face, preparando-a para que, em um futuro próximo, seja utilizada na mastigação e fonação

Aleitamento Natural X Aleitamento Artificial  O ideal é que o bebê seja amamentado, exclusivamente, no peito por pelo menos 6 meses

Aleitamento Materno  Os pais de uma criança que está sendo amamentada ao seio recebem constantemente uma quantidade enorme de informações. Infelizmente, mesmo quando bem intencionadas, nem todas estas informações servem para ajudar aos pais e sua criança.

Usando A Mamadeira Com Bom Senso  O aleitamento materno é de longe a forma ideal de alimentar o bebê, mas sabemos quem nem sempre isto é possível. Existem muitos obstáculos, que podem impedir esta forma natural de alimentação e levar os pais a alimentarem o bebê com mamadeira.

Cuidados Pós-Parto  Todos os órgãos, principalmente os genitais, se recuperam das alterações ocorridas ao longo da gravidez e do parto e nessa fase se inicia a lactação

Gestação e HIV  Todas as gestantes devem realizar testes para identificação da infecção pelo vírus HIV. É um exame de rotina na avaliação pré-natal.

Amamentação e Os Dentes e a Face  No bebê, o ato de se alimentar acontece através da sucção que é o primeiro estímulo responsável pelo crescimento facial.

Índice de Apgar  Muito mito e expectativa surgem em torno do Apgar (a nota) que a criança recebeu. Os pais ficam nervosos, preocupados que uma nota baixa possa representar problemas futuros para sua criança.


Autor

Título: Morte Súbita do Lactente

Link : | Data de Acesso : 05/12/2016 - Código do Conteúdo : Artigo 689 | Palavras-Chave : Morte Súbita do Lactente - Pediatria - Síndrome da Morte Súbita do Recém-nascido , SMSL , Morte Súbita Infantil , Morte no Berço , morte inesperada , autopsia , coeficiente de mortalidade , Fatores de risco , coleito , temperatura corporal , tabagismo , uso de drogas .





Aviso Legal

Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização mesmo que citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Os anúncios publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou de interferência no conteúdo editorial. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site ABC DA SAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
Política Editorial :https://www.abcdasaude.com.br/sobre
© Copyright 2001-2016 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda. - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.